quinta-feira, 17 de março de 2011

Dicionário da mulher: Contracepção, ou... quem manda no seu corpo é você!


Você não quer curtir esse barato de ser mãe agora, então como é que faz? Métodos, há vários. Simples ou tra­ba­­­lhosos, basta você escolher. O mais prático é virar santa, mas os outros quebram o maior galho...

TABELINHA
Aqui o x da questão é determinar quais são os seus dias férteis no mês. Teoricamente eles estão no meio do ciclo menstrual, 3 dias antes da ovulação e um dia depois. Mas onde é exatamente o meio do ciclo? No mês passado ele foi de 28 dias, no retrasado de 30. E agora? Simples: a cada mês você tira a média dos últimos três meses. Aí subtrai 18 dias do seu período mais curto e 10 dias do período mais longo; os dias que vai encontrar são o primeiro e o último em que pode engravi­dar.

Por exemplo, digamos que o seu ciclo mais curto teve 26 dias e o mais longo 35. Portanto 26 menos 18 = 8, e 35 menos 10 = 25, de modo que você pode estar fértil do oitavo ao vigésimo quinto dia do ciclo. 

MUCO CERVICAL
Ele aparece quatro dias antes da ovulação e é outro bom indicador da fertilidade. Não chega a ser corrimento, é um  molha­di­­nho dife­rente que vai ficando mais espesso ao se aproximar o dia D. Biologi­camente, sua função é formar uma base viscosa para os esperma­tozóides poderem viajar lá para dentro. Como isto é exatamente o que você não quer, tome cuidado a partir do momento em que se sentir mais molhada até 4 dias depois do muco ficar grosso e mais seco. A desgraça toda é que justamente nesses dias a gente fica com mais tesão, portanto mais assanhada e imprudente.

DIAFRAGMA, CAMISINHA, CAPUZ
Estes são os chamados métodos de barreira. A barreira é o que impede o espermatozóide de chegar ao óvulo. Pode ser um diafragma, membrana larga de borracha que fecha a entrada do colo do útero; uma camisinha, capinha de borracha para o pênis; ou um capuz cervical, também de borracha, que encaixa bem no cérvix. Todos protegem melhor quando você usa junto um creme ou geléia esper­mi­cida, isto é, que mata os esper­mato­zóides, tadinhos.

O diafragma é o mais eficiente. Para o dia­fragma você precisa que sua médica tire as medidas lá de dentro. Quando comprar, leia atentamente as instruções e não carregue o bichinho de qualquer jeito, porque ele fura, e aí... A camisinha é vendida em qualquer farmácia, cuidado com as mais baratas. Se tiver dúvidas é melhor pôr uma em cima da outra. E o capuz cer­vical, uma espécie de diafragma que envolve o cérvix,  quase ninguém usa porque é ruim de colocar.


ESPONJA
Marinha, 100% natural, não funciona como barreira: é apenas uma forma prática de você utilizar esper­micidas. Perde longe para o dia­fragma.

DIU
Dispositivo intra-ute­rino, é uma pecinha de plástico, geralmente re­coberta por cobre, com um barbantinho pendurado. A pecinha é inse­rida no útero pela sua médica e o barbantinho fica visível na vagina para ser puxado quando for o caso. Mas às vezes os DIUs dão  problemas bem sérios – perfuração de útero, infla­ma­ção, cal­ci­­­ficação, gravidez tubária, de forma que nossas médicas são um tanto avessas a colocá-lo, a não ser que a mulher já tenha usado um sem problemas. Mulheres com múltiplos parceiros e as que nunca tiveram filhos não deveriam usar DIU. No primeiro caso porque a adaptação fica muito mais difícil, no segundo porque se der algum problema e o útero for afetado, adeus filhinhos.

PÍLULA
Por obra e graça daquela cartelinha simpática  pudemos desreprimir uma demanda antiga, e como desreprimimos! Só que nem todo mundo se sente bem com a pílula ou pode tomá-la. Não se receita a pílula para mulheres com mais de 40 anos (35 no caso das fumantes), problemas hepáticos presentes ou passados, crônicos ou agudos, diabetes, distúrbios cardíacos ou vascu­la­res, hipertensão, varizes,  câncer, enxaqueca ou ane­mia. Atua impedindo o hipotálamo de ativar os hormônios da hipófise, de modo que você simplesmente não ovula. Também impede que o muco cervical se torne viscoso, então os esper­matozóides ficam sem condução para subir. Existem diversos tipos de pílulas. Todas têm efeitos colaterais, mas a gravidez também tem...


LAQUEADURA DE TROMPAS
A maneira mais radical de evitar filhos é blo­quear as trompas de Falópio, de modo que os óvulos caem no abdome e ali são reab­sorvidos pelo organismo. Ovinhos no útero, nunca mais. Isso se faz geralmente durante a cesariana se a mulher não quer ou não pode mais ter filhos e o obstetra já está mesmo com a mão na massa: ele simplesmente dobra, amarra e corta as trompas. Mas, diante da lei, a aprovação dependeria de uma junta médica, uma vez que a laqueadura “constitui lesão corporal grave por retirar órgão, sentido ou função”. A operação também pode ser feita em outro momento que não o do parto, através da vagina (raramente) ou por incisão nas pregui­nhas do umbigo.

VASECTOMIA
É um método prático, fácil e eficiente de não ter filhos, e os  efeitos cola­terais são mínimos, mas a maioria dos homens não quer nem tocar no assunto. Por quê? Porque tem que cortar um pedacinho deles, ora essa.

Dentro dos testículos há dois pequenos canais que carregam o esperma para a uretra. O que o médico faz, no consultório mesmo, é puxar esses canais  para fora através de dois corte­zinhos ridículos e zapt!, cortar uma fatiazinha de cada um, selar as pontinhas e pronto. Dura 20 minutinhos. Não dói. E não prejudica potência, ereção ou orgasmo: tudo continua do mesmo jeito, ou melhor que antes, já que o fantasma da gravidez está afastado para todo o sempre.

Mudar de idéia? Pode, mas só se ainda não tiver passado um ano: uma nova mi­cro­­­cirur­gia, a vaso­vasec­to­mia, tem como recons­tituir os canais, com sucesso em 90% dos casos.

ABORTO: OLHO VIVO
Só que com tudo isso você vacilou, e agora tem uma gravidez não de­se­jada. Contra tudo e todos você resolve tirar a criança. Então, já que não pensou antes, pense agora.

No Brasil morre uma mulher a cada 15 minutos por causa de aborto mal feito. É a maior causa de mortalidade entre nossas mulheres jovens.

São 3 a 5 milhões de abortos a cada ano; dez por cento dos casos se com­plicam, e destes, outros dez por cento são fatais.

Embora o aborto seja punido por lei, inúmeras clínicas prestam esse serviço clandestinamente; você vai ter que descobrir a melhor. São dois os métodos aceitáveis. Um utiliza sucção a vácuo, introduzindo um tubo no colo do útero para sugar todo o tecido fetal. O outro utiliza dilatação e cure­tagem: o médico dilata o colo do útero e raspa lá dentro com uma espécie de colher de cabo muito comprido. Qualquer outro artifício – chás, espe­tadelas ou subs­tâncias que as índias colocam – pode pôr você em risco de vida. E mesmo quando é bem realizado, um aborto pode ter conseqüências ruins como  gonor­réia, sífilis e infecções bacterianas contraídas na própria clínica; a pior de todas, esterilidade.

Sua médica certamente não vai apoiar sua decisão de abortar. Mas depois de tudo é ela que pode cuidar da sua saúde, portanto não perca tempo.

Do livro Só para mulheres (e homens que gostam muito das mulheres)

E mais: MÉTODO DA TEMPERATURA BASAL, veja abaixo o comentário de Angela em 23/3 .

58 comentários:

  1. Aê, Sônia, mandou bem.

    Levantando outras bolas, ainda no mesmo jogo:
    * pílula anticoncepcional pode deixar o ovário preguiçoso.
    * Camisinha previne DST.

    Eu observo o muco cervical e vou na toada dele, e como já teclei antes, nunca deu xabú.

    BeijOM,

    ResponderExcluir
  2. É um assunto sempre atual! impressionante o quanto de desinformação ainda existe a respeito.

    Na minha época, falei como minha avó agora..., fiz a tabelinha orinetada por meu homeopata. Não funcionou... quando voltei ao consultório já estava grávida. Ele nasceu 6 meses antes do fim da minha faculdade de educação física.


    A segunda gestação foi mais planejada, e depois vasectomia.

    Deu certo para nós.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  3. Eba! Estava ansiosa por esta conversa!

    Bom, no meu caso, sou casada e uso pílula e camisinha. Os problemas da pílula são baixa libido e como a Sônia disse já e eu não sabia, candidíase (que tb é um contraceptivo, já que leva à abstinência hehehe).

    O lado bom da pílula é que ela dá segurança para quem não quer engravidar e dá um controle total sobre a menstruação, já que a tomo quase sem parar por dois ou tres meses. Ou seja, dá para programar a vida, viagens, passeios, sem ser "incomodada" rsrsrs

    ResponderExcluir
  4. Outra vantagem da píluala é diminuir muuuito o fluxo durante a menstruação. Uso bem menos absorventes e não corro o risco de anemia.

    ResponderExcluir
  5. Uso o método da ovulação Billings (MOB) desde que me casei. Fico livre de qualquer efeito colateral e incômodos por acessórios internos ou externos. Não custa nada. E conheço muito mais meu corpo e meu ciclo (e meu marido acompanha tudo, às vezes, melhor do que eu). Vou completar 4 anos de casada e tenho uma filha de 1 ano e 3 meses. Melhor não poderia ser!

    ResponderExcluir
  6. O que é método Billings MOB (interrg)

    Engravidei com tabela, minha mãe e avó tb... Uma amiga engravidou com um método que era observação do muco vaginal, media temperatura todo dia, etc.

    Usei pílula e inchei horrores, tb senti perda da libido.
    Não confio em diafragma, já vi dar certo e tb já vi falhar.

    ResponderExcluir
  7. Olá queridas comadres!
    Passo aqui toda semana para visitar e aprender, sempre! E aproveito a carona na pergunta da Carol (que visito depois da Sonia. Sim, o que é Método Billings MOB? E alguém pode me dizer se é normal o muco ser abundante no período fértil? Eu sei direitinho meu período pq parece que tô fazendo xixi nas calças!! Se estiver de saia e sem calcinha então escorre que só vendo!
    Constrangedor e pior, será que é normal??

    Beijossssssssss a todas!

    Ah! Meu nome é Léia

    ResponderExcluir
  8. Eu sou enfermeira e acompanho alguns casais e tenho testemunhos belíssimos sobre o Método da Ovulação Billings (MOB). Sem efeitos colateral, gratuiro, relativamente fácil de usar, quando a mulher se conhece e faz as anotações direitinho. Promove o autoconhecimento do corpo feminino e os maridos ficam mais próximos, pois acompanham e ajudam nas anotações. Os beneficios são diversos e que fazem valer a pena está opinão. Planejamento Familiar Natural possível, de eficâcia garantida e sem efeitos colaterais nem a curto nem a médio prazo. Quem quiser ajudar os esclarecimentos me escreva: mob.pfn@gmail.com

    ResponderExcluir
  9. Oi, Auricleide, e você orienta gratuitamente também?

    ResponderExcluir
  10. Sim, Soninha e todas, importante esta discussão pq a concepção responsável é um tema dos mais importantes nesta fase da civilização humana. Na década de 80 fiz uma adaptação do Método Billings para adolescentes somando mais 2 ingredientes à observação do muco cervical: anotação dos "humores" e sincronicidade com os ciclos lunares. Tudo isso virou O Diário de Pandora - uma obra cuja proposta era trazer à consciência o processo da OVULAÇÃO como o centro das atenções do ciclo feminino. A pílula suprime essa fase e, apesar de toda sua praticidade, sequestra das adolescentes uma experiência mensal de amadurecimento (auto-conhecimento) sexual que vai construindo a "Escolha da Concepção" - quando, com quem e porque trazer uma vida ao mundo.
    Sem a pavimentação desta maturidade, a banalização da concepção tem os resultados que vemos: gravidezes indesejadas e improvisadas, o que nem sempre resulta em amor, educação e cuidados suficientes para uma existência digna. Daí em diante, com ou sem religião/ideologia, o que temos é a chance de um ser humano rejeitado e com uma vida difícil e complicada pela frente, no mínimo!
    Bem, entendendo que gravidez "não se faz nas cochas", pulamos para o corte desse acidente: o aborto. Aí o que já temos é uma confusão danada misturada ao conceito fundamental do direito & dever que envolvem EDUCAÇÃO SEXUAL e PLANEJAMENTO FAMILIAR. Para mim, de nada adiantam dogmas ou legislação coerciva. O que precisamos é de Educaçao Sexual e Afetiva, matéria para lar (família)e escola (sociedade).
    P.S.> Sonia, a quem sou gratíssima, acreditou em minha idéia e editou o "Diário de Pandora" (Ed. Ground) e a inevitável consequencia, o livro "Aborto" (Ed. Mauad) onte tive a oportunidade de propagar, no início dos anos 90, a Pílula do Dia Seguinte que estava sendo testada num Posto de Saúde de Goiânia. Hoje o conceito de "Sexo e Afeto" já permeia muitos dos projetos de prevenção à gravidez juvenil e creio que esse é o caminho para valorizar e dignificar esta vital escolha da mulher.
    Gde abç,
    Regina Aradhan

    ResponderExcluir
  11. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  12. Sou filha de tabelinha, assim como meu irmão e irmã....

    No mês em que eu engravidei (planejada), não vi o muco elástico, só o cremoso, típico da fase infértil. E eu estava acompanhando atentamente, já que estava querendo engravidar.
    Acompanhava temperatura tb (q dá uma ligeira queda, ou não, antes de ovular, e aumenta notavelmente no período pós-ovulatório, quando a progesterona domina), mas no mês em que engravidei estava viajando então não fiz o acompanhamento.

    Acho que o método billings, na verdade, é mais pra quem quer engravidar do que pra quem quer previnir. Infelizmente, nada como a camisinha como método anticoncepcional (e nada de usar uma por cima da outra hein...).

    Pílula, apesar de prática, tem a descarga hormonal que te incha, acaba com o tesão, predispõe a candidíase, aumenta celulite e microvasinhos...

    ResponderExcluir
  13. "Anônimo", você fazia o método sozinha ou com acompanhamento de algum instrutor? Porque você se equivocou: o muco 'cremoso' não é típico do período infértil. O período fértil começa exatamente com o primeiro sinal de muco, bem grosso às vezes, parecendo 'danoninho'; depois vai ficando mais 'líquido' e volta a engrossar, encerrando o período fértil.
    O período infértil é o período 'seco' exatamente por não haver muco, já que o colo do útero está fechado.

    ResponderExcluir
  14. Sonia,

    enton (melhor teclando),
    o Calendário da Lua que incentivo minhas alunas a construírem, é quase 'que nem' o método da Regina para adolescentes: além de observarem muco, estado emocional individual e a lunação, peço para observarem o que comem, funcionamento dos intestinos, qualidade do sono e 'humor laboral'(como sente e se sente no ambiente de trabalho)

    BeijOM,
    MaFê

    ResponderExcluir
  15. Oi Mafê, deixa teu contato. Estou super interessada nessa oficina.
    abs e obrigada

    ResponderExcluir
  16. Sônia,

    como sou abusada+/=comadre:

    Carolina,
    mfesenger@gmail.com
    www.yogaindaiatuba.com

    Você pode me ler,
    me escrever e quando tiver uma oficina aqui agendada,vir fazer.
    Ou juntar um povo aí,e me levar pro Rio,rsrsrs... (que chato).

    Eu também posso montar um texto sobre o Calendário da Lua e a Oficina de TPM e postar,mas um outro diferencial bacana da oficina é que a pessoa que participa aprende a fazer algumas posturas/aasanas que ajudam o ciclo (e a pessoa) a ficar regular,harmonioso e gostoso. E isso não dá pra ensinar certinho por escrito, é bacana fazer&sentir. Homem também pode (e deve) fazer a Oficina de TPM,para entender essa nossa natureza enluarada, e para aproveitar a prática,pois os mesmos aasanas que nos ajudam(mulheres) a ter um ciclo equilibrado previnem a impotência, ejaculação precoce, câncer de próstata e infertilidade deles.

    Tem uma outra coisa que é bacana de observar e colocar no Calendário da Lua, mas funciona para quem tem consorte (=parceiro fixo interessado):o 'humor' dos moços pode 'andar' junto com nossos hormônios, ou seja, quando estamos em período féril, eles ficam mais pidunchos= assanhadinhos.

    BeijOM,

    ResponderExcluir
  17. Oi, MaFê, você e Carol trocando figurinhas aqui no blog é bom demaisss, com sotaque mineiro e tudo. Só pode rolar coisa interessante. Beijos!

    ResponderExcluir
  18. O que a MaFê falou sobre o parceiro é verdade; meu marido acompanha meu ciclo e isso inclusive ajuda e fortalece nosso relacionamento.

    ResponderExcluir
  19. Ah, MaFê... A ideia do post é ótima! Mais um caminho!

    Abs!

    ResponderExcluir
  20. Como sou meio distraída, li os posts de trás pra frente... =) de modo que repito aqui (com acréscimos) o que já mencionei em um dos anteriores onde rolou o papo da CONTRACEPÇÃO.

    MÉTODO DA TEMPERATURA BASAL... é simples, mais natural impossível, e requer apenas 1 semana de abstinência ou sexo com barreira por ciclo. Explicação no item 3.1 desse link: http://www.abcdasaude.com.br/artigo.php?472

    Se é seguro?... Bem... como dizia meu velho ginecologista, o único método 100% seguro é... "NÃO!" Mas comigo o método da temperatura nunca falhou - e olha que meu ciclo era uma bagunça generalizada.

    E o método é tão legal, que ainda pode ajudar na... CONCEPÇÃO! E até na escolha do sexo da criança! ;)

    ResponderExcluir
  21. Sim, sim, Angela, tudo a ver. É um método sempre lembrado quando se quer conceber, e quase nunca como contraceptivo. Mais autoconhecimento na veia!

    ResponderExcluir
  22. Linda foto, Sonia.

    ResponderExcluir
  23. Obrigada, Silvia! Divido o elogio com a querida amiga câmera, que é espetacular e deixa a gente fazer coisas: Panasonic Lumix Fz35. Abração!

    ResponderExcluir
  24. Angela, fiz um adendo ao post indicando seu comentário quanto ao método de temperatura basal. Valeu! Beijos!

    ResponderExcluir
  25. Michele Max Vieira29/03/2011 11:33

    Oi, Sonia,
    Admiro muito o seu trabalho e aprecio muito as informações que você disponibiliza para o público através de seus livros/ site, mas fiquei muito decepcionada com este teu artigo, em que você apoia o assassinato de bebês. "[...]Inúmeras clínicas prestam esse serviço clandestinamente. Você vai ter que descobrir a melhor. São dois os métodos aceitáveis [...]".
    Estou muito triste por descobrir que você é uma jornalista dessa estirpe, tão superficial, cega ( de mente e de alma, por não perceber o óbvio, que aborto é assassinato, e se percebe e mesmo assim o apóia, é demoníaca)quanto a maioria dos jornalistas que nos fala por meio da boca monstruosa dos grandes meios de comunicação. Eu simplesmente não poderia ficar calada. Alguém tem que defender os bebês nascituros, inclusive de jornalistas más e inconsequentes como você, que ajudam/apoiam outras pessoas a pecar! Você não tem consciência da repercussão dos teus atos para as almas?

    ResponderExcluir
  26. Oi, Michele, eu me reservo o direito de ter minhas próprias posições. E também não gosto das suas, acho muito grosseiro o que você escreveu.

    Quanto repercussão dos meus atos para as almas, acho que não é você quem vai me julgar. O que você acha?
    Um abraço!

    ResponderExcluir
  27. Eu fiz aborto, várias mulheres de minha família fizeram e ninguém gostou ou sentiu prazer no ato.
    Pecado para nós, que tb somos católicas, é viver numa sociedade patriarcal onde a lei dos homens rege o corpo das mulheres. Pecado é sexo ser a única fonte de êxtase do ocidental e não haver nenhum métodos 100% seguro de contracepção. Pecado é uma moça de 15 anos abandonar os estudos para criar um bebê do namorado que já pulou fora e ter que passar o resto da vida em subempregos, além de ser repudiada por toda a sociedade. Pecado mesmo é ver criança na rua, dormindo debaixo de marquise, pq suas mães adolescentes não puderam recorrer ao SUS e estão igualmente embaixo de outra marquise cheirando cola. Aborto não é escolha (ou pecado), aborto é falta de escolha.

    E com o mesmo rigor que vc nos julga, vc será julgada.

    ResponderExcluir
  28. Anônima, que resposta boa! Obrigada em nome de todas, e um grande abraço!

    ResponderExcluir
  29. Se eu soubesse o mal que a laqueadura faz, eu jamais teria permitido a mutilação. Mas ainda dá tempo, como terapeuta natural posso mostrar aos meus filhos, meus familiares, meus pacientes, o valor de ser naturalmente natural.
    Beijos
    Cristina, São Paulo

    ResponderExcluir
  30. É mesmo, Cristina? Então conta um pouco sobre esse mal. O que aconteceu? O que você sentiu e ainda sente? Um abraço!

    ResponderExcluir
  31. Ué, por que putz? Nunca ouvi ninguém contar que sofreu depois de fazer a laqueadura de trompas, fiquei curiosa e querendo entender esse mal que a laqueadura faz...

    ResponderExcluir
  32. Sônia, meu anticoncepcional contém: "2 mg de acetato de clormadinona e 0,03 mg de etinilestradiol. Excipientes: amido, dióxido de titânio, estearato de magnésio, hipromelose, lactose monoidratada, macrogol 6000, óxido de ferro vermelho, povidona, propilenoglicol, talco."

    Será que algum destes ingredientes dá candidiase?

    Muito obrigado

    ResponderExcluir
  33. Oi, Anônimo, não são os componentes, mas o efeito deles e do conjunto da obra. Na maior parte dos casos a pílula anticoncepcional mexe com os hormônios, suprime as funções naturais e dá ou aumenta a candidíase.

    ResponderExcluir
  34. Sonia, sempre gostei do método da temperatura, e aprendi num livro. Hoje, via internet as coisas ficaram mais "técnicas"... mas também mais fáceis, com gráficos virtuais automáticos.

    Por acaso recebi a dica desse site, o FERTILITY FLOWER, que tem uma filiação básica GRÁTIS, por isso achei legal divulgar. Eu não naveguei pelo site, mas AQUI neste post tem um boa análise de como funciona o site. Só que quem quiser usar tem que saber se virar em Inglês...

    ResponderExcluir
  35. Oi, Angela, imagino que é preciso ter um grande autodomínio para resistir ao desejo, justamente nos dias mais férteis. Você era casada? Pode dar alguma dica para as meninas? Abração!

    ResponderExcluir
  36. Sim, casada. Depois que se aprende a usar e confiar no gráfico, o período fértil na verdade é muito pequeno - o grande segredo é a parceria incondicional dos envolvidos! ;)

    ResponderExcluir
  37. Bom, a parceria incondicional dos envolvidos torna tudo na vida melhor, né? ;-)

    ResponderExcluir
  38. Angela, deixa eu te perguntar uma coisa: com que tipo de termômetro você tira a temperatura? coloca na boca? eu tentei começar o método mas usando termômetro comum e colocando na axila. a temperatura oscilava muito a cada dia, foi impossível ter alguma noção... será que com um termômetro clínico digital, colocando na boca, dá certo? ou é preciso ter um termômetro basal, mais sensível e específico pra isso? obrigada desde já, amei o post e os comentários.

    ResponderExcluir
  39. Heloísa, eu também meço a temperatura e uso termômetro normal, não digital, colocando embaixo da língua todos os dias mais ou menos no mesmo horário, assim que acordar e antes de levantar da cama para não haver mudança na temperatura. E considere cada pontinho do termômetro, pois a queda ou aumento da temperatura - nem sempre brusca - pode ser significativa; depende do seu ciclo.

    ResponderExcluir
  40. oi, Silvia, obrigada pela resposta! meu termômetro é digital, acho que colocando embaixo da língua vou conseguir uma medição mais precisa do que na axila, né... vou começar tudo de novo.

    ResponderExcluir
  41. OI, Heloisa, desculpe, só agora vi o seu comentário... mas a Silvia já respondeu: é isso mesmo, temperatura com termômetro de mercúrio debaixo da lingua por 3 minutos. As variações são muito pequenas, na axila não é confiável - e eu também não confiaria no termômetro digital...

    No primeiro mês você só "observa", e vá guardando os gráficos. Depois de algum tempo, conhecendo bem a sua curva, basta medir a temperatura alguns dias antes e alguns dias depois, para confirmar a queda e a subida da curva.

    ResponderExcluir
  42. Com os gráficos já facilita tudo, né? Saber que tem uma curva e que a temperatura vai atingir um máximo e depois descer, ciclicamente, como as ondas do mar. Lindo, além de prático, limpo, grátis. Um gesto diário que alimenta a consciência de si, seu corpo, seus desejos.

    ResponderExcluir
  43. Desculpe a dificuldade do entendimento, Sônia, todavia, na questão abortiva: quem possui direitos sobre quem? A mãe sobre o feto, ou o feto que já possui vida, mesmo de forma intrauterina? Matar uma pessoa, mesmo neste estágio, é o mesmo que matar uma criança, porém não vendo o seu rosto.estou certo? Assim, fica fácil! É covarde! Posso ouvir, ler sobre a tua posição, tangente a este assunto, todavia, sou totalmente contra o aborto! Pergunto-lhe: nascida a criança, você teria coragem de matá-la, olhando em seus olhos??? Se a resposta for sim, siga nos teus conceitos. Se a resposta for não, reveja as tuas concepções. ninguém tem o direito de tirar a vida de outrem. Ou temos?! Não somente sou provocador,insolente, + tb sou certo de minhas decisões. O que falo ou escrevo, isto também pratico, caso contrário não existe razão para minha vida.
    Obs: sou Policial há mais de 15 anos. Já trabalhei em 6 Estados da Federação, e portanto, você deve imaginar o que eu já vi e senti!!!
    Fabiano

    ResponderExcluir
  44. FR, você não entendeu mesmo. Melhor evitar do que conceber sem poder. Se for fazer um aborto, melhor bem feito do que mal feito. Para mim é lógico o texto acima. Se vacilou... etc. Mas acho que nossos pontos de vista são mesmo opostos. Um abraço!

    ResponderExcluir
  45. Sonia! vamos a vida real.* Ótimo aborto a todos àqueles, os quais realizam apologia a este tipo de prática punível, inclusive pela Lei Brasileira. Bem feito ou mal feito esta conduta, entretanto punível!*
    Veja o link e tirem sua próprias conclusões.
    http://www.dailymotion.com/video/xf5fpz_video-real-de-um-aborto_webcam.
    Saio desse tema satisfeito, pois sei que você é uma pessoa inteligente e o aprofundamento nesta questão mudará tua percepção sobre os fatos. Hoje ou amanhã.
    Shalom u’vrachot!
    Abraços
    Fabiano

    ResponderExcluir
  46. Fabiano, se os homens engravidassem, o aborto seria sagrado.

    Falar é fácil, empregar uma mãe solteira subqualificada é q são elas...

    ResponderExcluir
  47. Encerro o tema aborto, convencido que a Morte nunca prevalecerá sobre a Vida.
    Este texto genial, do Professor Genival, conclui, para mim, o debate.
    Faço apenas uma observação: Hiller, citado no texto, era o segundo homem na hierarquia do Comando da SS de Hitler.
    Como disse outrora, tirem vossas conclusões.
    http://www.pucrs.br/bioetica/cont/mariangela/aborto.pdf
    Shalom.
    Fabiano

    ResponderExcluir
  48. aborto é assassinato, gente, independentemente da justificativa. Vocês não percebem isso? E se percebem, apóiam? Como assim? Jogar um bebê pela janela ou lançá-lo num rio ou numa lixeira é a mesma coisa que abortar. Meu Deus! Putz! Putz! Putz!

    ResponderExcluir
  49. Rosana de Araujo24/07/2011 01:26

    Sônia, andei "revirando" seu blog e encontrando preciosidades. Até agora apenas esse post me pareceu incoerente, com todo o respeito (se for possível).

    Enquanto os outros posts levantam uma bandeira mais radical, aqui são listados os velhos conhecidos, incluindo a pílula (droga todos os dias pra dentro) e o aborto (!!!).
    É muito triste considerar esse tipo de cirurgia (na maior parte dos casos criminosa, no Brasil) um método de evitar filhos. Mas enfim...

    Sou casada há 9 meses e utilizo o Método de Ovulação Billings. Recomendo!

    Abraço!

    ResponderExcluir
  50. Oi, Rosana, meu post não pretende esgotar o assunto e os comentários exploram outras possibilidades. Essa é a mágica da rede: a soma melhora o produto. Um abraço!

    ResponderExcluir
  51. Tomei pílula por uns 2 anos. Dessas mais "fracas" e por isso bem mais caras, durante este período meu ciclo ficou regular e quase não tive cólicas. Párei por 6 meses e engravidei. Assumi as consequencias. Nasceu minha linda filha depois de um parto (mais natural impossível) de 13 horas. Quando párei de amamentar parti para uma pílula mais barata e o resultado foi uma hemorragia que durou 1 mês. Usei mais duas marcas. Não me adaptei a nenhuma delas. E comecei a fazer a tabelinha. Um tempo depois fiquei grávida novamente. Nunca pensei em aborto, mas corri atrás de um médico que fez minha laqueadura sem cobrar nada e me tratou no convênio, da mesma forma humana e competente com que tratou minha amiga, tb grávida na mesma época, na rede pública. Foi minha primeira cirurgia ( e eu espero que tenha sido a última). Não foi traumático. Muito pelo contrário. A equipe do SUS foi eficiente, competente, humana. Enfermeiras maravilhosas que cuidaram de mim como se cuida de um filho. Depois da cezariana a laqueadura foi feita. Não tive absolutamnete nenhum problema, nem antes, nem depois. Não me arrependo nem por um segundo. Minha menstruação ficou mais regular e eu só tenho cólicas nos primeiros dias. O fluxo ficou um pouco mais intenso, mas hj eu menstruo por apenas 5 dias, muito diferente de antes quando eu chegava a amargar 10 dias de cólicas e mau estar. Para mim foi ótimo. Bem melhor que voltar a pílula ou confiar na tabelinha. Faz 4 anos que fui operada e vivo como se não houvesse amanhã... rs

    ResponderExcluir
  52. Que bom, Mariana, que você conseguiu o que queria dessa forma bacana. Aqui na roça conheço gente com pencas de filhos que não consegue a laqueadura a não ser pagando. Uma delas, 36 anos, às vésperas do sétimo filho, tem que pagar R$3.500,00 ao médico se quiser fazer a cirurgia. Os seis anteriores foram de parto normal. Ô mundo!!! Um abraço, Mariana!

    ResponderExcluir
  53. Que tristeza, Sonia! Semana passada o telejornal local noticiou as condições do hospital, onde nasceu meu filho e fui operada. Não há obstetra! Dá para acreditar num absurdo desse? Esse médico que me operou, ajudou e ajuda milhares de mulheres. Num português bem chulo eu poderia dizer que ele "castra" geral, principalmente para evitar que mulheres cheguem na situação dessa sua conhecida. Porque muito pior que abortar é ter o "direito" de nascer numa família desestruturada, carente de tudo... onde normalmente apenas uma mulher dá conta de colocar pouca comida na mesa, para isso se ausenta durante a maior parte do dia, enquanto os mais velhos "cuidam" dos mais novos e aprendem na rua a educação que lhes servirá para a vida... E as leis retrógradas ajudam a fomentar essa realidade. Seguindo a lei, eu mesma não poderia ter sido operada, estava no meu segundo filho e tinha menos de 30 anos. Felizmente meu médico entende que a lei não enche os pratos de comida...

    ResponderExcluir
  54. Corrigindo o texto.... não tenho muita vocação para trabalhar com letras rsrsrsrs

    Olá Sônia! Sempre fui admiradora de seu trabalho. O primeiro que tive contato foi com o Manual do Herói que é um livro queridinho e que o levo comigo para cima e para baixo.

    Recentemente adquiri seu livro " Só para mulheres" e me deparei exatamente com essa página do livro. Só que pelo meu conhecimento, tudo que aprendi até agora na faculdade, o período fértil nunca será exatamente na metade do ciclo. O dia mais fértil é 14 dias antes da menstruação, calculando a partir desse dia, 3 dias antes e 3 dias depois se tem a semana de risco que seria a semana fértil.
    Quanto ao caso da camisinha, usar uma em cima da outra é o mesmo que dobrar o risco de ruptura da mesma, pois o atrito do látex com látex provoca isso.

    Quanto ao aborto, achei que faltaram mais informações no quesito Legal. Até onde eu sei, a mulher que faz o aborto com consentimento pode pegar uma detenção de até quatro anos. Atualmente muito se descute pela reforma dessa lei, mas ainda, continua valendo a antiga.
    Só é legal em caso de estupro e anencefalia fetal.

    Pelo seu texto, me deu a entender que a mulher pode simplesmente achar qualquer clínica boa e fazer um aborto clandestino que não vai ter problema nenhum (nem legal, nem emocional, nem psicológico, etc).
    Poderiam ter surgido mais alternativas para um problema com a gravidez indesejada que não fosse necessariamente aborto. A ver que o aborto contribui e muito para a falta de saúde da mulher, principalmente se for ver as questões sutis e emocionais.


    Me senti muito triste e decepcionada, principalmente com o quesito da camisinha. Pois sempre admirei seu trabalho e inclusive uso seus escritos para me orientar em meus estudos. E com essas informações que considero duvidosa, fiquei com a pulga atrás da orelha. Um sentimento de "Ah, será que tudo que ela falou está errado então?? Como será que vou conseguir filtrar toda a informação para descobrir o que é verdade e o que não é?"

    Desculpe se meu comentário parece ser grosseiro, mas essa não é minha intenção, de forma alguma! Mas achei importante compartilhar com você esses pontos, queria saber sua opinião depois de tudo isso, e que eu e você possamos crescer ainda mais a partir desse diálogo.

    Um grande abraço
    Da sua leitora.

    ResponderExcluir
  55. Oi, Minha leitora sem nome, obrigada por registrar aqui essas questões.

    Lamento que você tenha ficado triste e decepcionada pelas pequenas contradições que encontrou. Eu às vezes também fico, sei como é.

    Mas são pontos de vista. O da médica que me deu supervisão era, ao menos na época (1994) de que duas camisinhas protegem melhor do que uma. Quanto ao aborto, se passar pela cabeça da mulher fazê-lo mesmo sabendo que é ilegal (veja que os 3 primeiros parágrafos são bem de alerta quanto aos perigos e problemas), o conselho do livro é conversar com a médica ou o médico primeiro, para ser bem encaminhada. Ou você preferia que eu ignorasse o tema? Um abraço!

    ResponderExcluir
  56. Oi, Sônia,
    gosto muito dos seus livros e leio e releio muitas vezes.
    Já que não tomo remédios (a não ser em casos extremos uma homeopatia) ando pra lá e pra cá com seus livros.
    agora queria pedir uma indicação, não achei aqui no blog. Tenho 35 anos e há 1 ano e meio decidi engravidar, mas minha menstruação nunca foi regulada (a não ser nos anos em que tomei pílula) e hoje em dia fico cerca de 3 meses sem menstruar. Fiz tratamento homeopático e assim que parei, a menstruação parou de novo.
    Já fui em 3 médicos e eles disseram que está tudo bem, o tal "ovário preguiçoso".
    será que tem receita pra mim?
    Muitos beijos e obrigada por suas obras tão importantes!

    ResponderExcluir
  57. Querida Sem Nome, eu faço tratamento homeopático sempre, como forma de manter a saúde. Vou lá a cada 2 ou 3 meses. Tomo um remédio de fundo e algumas coisinhas pontuais que a médica considera importantes para meus 66 anos. Se eu fosse você voltaria lá para retomar o tratamento. Um abraço!

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário ou pergunta, se quiser, mas saiba que no momento é improvável eu responder, devido a mil coisas, cursos & viagens. Também vem novidade web aí. Agradeço. Abraços, Sonia

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.