quarta-feira, 1 de junho de 2011

Dicas da Raquel Ribeiro: Cosméticos naturais


Outro dia, durante a yoga, a professora me pediu para sentar com as pernas cruzadas. Fácil. Depois falou para mudar o cruzar das pernas. Que sensação esquisita! Percebi que algo tão básico era uma novidade, pelo simples motivo de estar habituada a sentar sempre do mesmo jeito...

O que isso tem a ver com nosso tema? Bom, temos o hábito de comprar sabonete, xampu, hidratante e mil outros produtinhos de beleza e higiene prontos! Além de práticos, são bonitos, cheirosos e prometem maravilhas para pele, dentes e cabelos. Ignorar essas sedutoras prateleiras e colocar a mão na massa exige determinação e, claro, bons argumentos. Vamos a eles:

- Veja o rótulo de qualquer cosmético que tem em casa e leia os ingredientes (se vencer a letra minúscula e os termos em inglês!). A fórmula é, em 99,9% dos casos, tão natural quanto o plástico da embalagem Em vez da andiroba ou da camomila estampada no frasco, ha substâncias químicas sintéticas, como parabenos, imidazolinidil de uréia, hidantoína e, invariavelmente, lauril sulfato de sódio. Todos são irritantes e podem desencadear reações adversas.

- Cheios de corantes e conservantes, substâncias que entram na circulação, ativam o sistema de defesa e liberam radicais livres, gerando estresse oxidativo, podendo acarretar doenças inflamatórias crônicas.

- Em 2009, nos EUA, a Campanign for Safe Cosmetics detectou, em 12 produtos de banho para bebês e crianças, duas substancias carcinogênicas: 1,4-dioxane e o formaldeído. Os fabricantes afirmam que, embora sejam tóxicos, em pequenas doses não oferecem riscos. Mas se forem usados todos os dias ao longo de anos?

- Segundo o National Institute of Occupational Safety and Health, nos EUA foram detectadas 884 substâncias químicas tóxicas em formulações de produtos cosméticos para higiene e cuidado da pele. O autor do livro Unreasonable Risk e professor de medicina da Universidade de Illinois, em Chicago, Samuel Epstein, afirma que várias são carcinogênicas.

- A ANVISA, nossa agência reguladora (!), não submete à análise produtos como condicionadores, xampus e sabonetes. Outros, como alisantes, antitranspirantes e tintura de cabelo, precisam de registro e passam por análise técnica. Acontece que cabe aos fabricantes comprovar que as substâncias estão nos limites seguros!

- Não somos enganados apenas no banho. Verifique como são feitos, por exemplo, o óleo de amêndoas e a manteiga de cacau vendidos em farmácia.

- Ao usar estes produtos químicos estamos despejando pelo ralo milhares de substâncias potencialmente tóxicas.
O fato é que empresas usam os termos “eco” e “natural” para vender uma infinidade de produtos químicos. “O que mais me incomoda, além dos testes em animais, é a propaganda sustentável, quando o produto sequer é biodegradável. Há um óleo trifásico de maracujá, que não contem nem o óleo essencial da fruta, leva perfume sintético, é feito em base de óleo de soja transgênica e colorido sinteticamente”, diz Carol Daemon, importante fonte uma matéria que escrevi sobre o tema para a Revista dos Vegetarianos. “Os óleos vegetais indicados são os essenciais (medicinais) e os que podem ser ingeridos”, indica a autora do blog caroldaemon.blogspot.com. Outra fonte, Rafael Ninno Muniz, educador ambiental e criador do “Cosmética Viva” provoca: “Tudo que você coloca na pele é absorvido de forma sistêmica pelo corpo. Quem come xampu ou protetor solar?”. Rafael resume tudo com uma dica: “somente coloque na pele o que puder colocar na boca”. Anote algumas de suas receitas:

Desodorante
100ml de água, 100ml de álcool de cereais, 1 colher de café de bicarbonato de sódio e algumas gotas de um óleo essencial (opcional).

Esfoliante
Bata no liquidificador fubá, argila em pó e babosa.

Hidratantes
Use óleos vegetais de gergelim, semente de uva, abacate, amêndoa ou coco (sou fã, particularmente, do óleo da Dr. Orgânico, que atraiu a borboleta da foto). Eles também servem para remover maquiagem, limpar o rosto e deixar sedosos os cabelos.

Frutas também hidratam! Experimente passar a parte interna da casca do mamão no corpo (rico em vitaminas A, C e do complexo B, é um excelente regenerador de tecidos e, por ser fonte de beta-caroteno e vitamina C, protege contra a radiação solar).

A polpa oleosa do abacate é altamente umectante: aplicada com um algodão, remove as impurezas da pele.

Com aveia você prepara o verdadeiro “leite de aveia”: bata um pouco desse cereal com água, até ficar com consistência de creme. Passe na pele, espere secar e tire com as mãos a poeirinha que sobrar.

Saiba mais:
http://cosmeticaviva.energialudica.org (no site você baixa gratuitamente a apostila de fitocosméticos com varias receitas)
http://www.storyofcosmetics.org (vídeo de 8 minutos sobre a indústria e o papel do consumidor)
http://chemicalbodyburden.org (informações contundentes sobre como estamos expostos à química)