domingo, 14 de abril de 2013

Viver pior: Monsanto, Obama e Dilma

Li no jornal, como se fosse um progresso espetacular, que o presidente dos Estados Unidos convidou a presidenta do Brasil para receber honrarias e se hospedar na Casa Branca.

Recebi no meu email a estarrecedora notícia de que o presidente dos Estados Unidos assinou uma lei de inteira proteção à Monsanto para ela fazer o que quiser com alimentos transgênicos, modificados, patenteados. Abaixo, a íntegra.

O Brasil já é o maior consumidor de agrotóxicos do mundo e a liberação dos transgênicos aqui foi feita de forma escancaradamente despótica, ignorando todos os argumentos contrários. Na época escrevi que a presidenta só pensava no desenvolvimento, não nas pessoas.

Depois veio o "Consumam, consumam porque precisamos arrecadar impostos para aumentar o número de consumidores para arrecadar mais impostos!" E os brasileiros reduziram o consumo de feijão, aumentaram o de porcaritos, biscoitos recheados e refrigerantes.

O desgoverno impera. Salve-se quem puder.



Obama assina Lei de Proteção à Monsanto, que coloca empresas de biotecnologia acima dos tribunais
Boletim da AS-PTA número 624 - 12 de abril de 2013
Car@s Amig@s,
A Monsanto e outras empresas de biotecnologia detêm agora nos EUA um poder inédito. Apesar da reação pública que incluiu a coleta 300 mil assinaturas em uma petição organizada pelo grupo Food Democracy Now!, o presidente Barack Obama assinou no dia 28 de março a Lei HR 933 trazendo um enxerto que a tornou conhecida como “Lei de Proteção à Monsanto”.
A inclusão da parte da Lei HR 933 que lhe rendeu o apelido é atribuída ao senador republicano Roy Blunt, do estado de Missouri. Segundo informações publicadas no jornal New York Daily News, o texto foi elaborado com a colaboração da Monsanto. Dados da organização Money Monocle, que divulga informações sobre o financiamento de políticos norte-americanos, revelam que o senador Blunt foi o político republicano que mais recebeu financiamento da empresa nos últimos anos.
O trecho polêmico da nova lei, que vigorará até setembro de 2013, diz que, no caso da invalidação de uma autorização de planta transgênica, o secretário de agricultura deverá imediatamente garantir a sua permissão temporária, não obstante qualquer outra disposição de direito requerida por agricultores ou afins. As condições temporárias “deverão autorizar o transporte, a introdução, a continuação do cultivo, a comercialização e outras atividades específicas, incluindo medidas desenhadas para mitigar ou minimizar potenciais efeitos ambientais adversos, se existirem, consideradas relevantes pelo secretário na avaliação do pedido de autorização”.
Uma legião de grupos da sociedade civil, incluindo organizações de consumidores e de produtores orgânicos, alerta que medida fere a constituição do país e abre um precedente legal, colocando a Monsanto e outras empresas de biotecnologia acima dos tribunais federais. Segundo a avaliação desses críticos, a lei nega a autoridade dos tribunais de cessar imediatamente a plantação e a venda de colheitas transgênicas mesmo na hipótese de serem constatados riscos ambientais e/ou para a saúde dos consumidores.
Curiosamente, a lei motivou manifestações de preocupação tanto por políticos democratas como por representantes da extrema direita. O caso é tão gritante que até mesmo o FreedomWorks, grupo conservador que ajudou a lançar o Tea Party, declarou que as empresas deveriam “jogar segundo as regras do livre mercado assim como todo mundo, ao invés de contratar lobistas para reescrever as regras em seu benefício em Washington”. Dustin Siggins, blogueiro do Tea Party Patriots, chamou a medida de “brecha de interesse especial” para amigos do Congresso. “Estamos acostumados a subsídios, que dão nossos impostos a empresas para conferir-lhes vantagens sobre competidores. Estamos acostumados a brechas tributárias de interesse especial e créditos fiscais, que proporcionam benefícios competitivos e financeiros àqueles com amigos no Congresso. E estamos acostumados com aumentos da carga regulatória, que frequentemente impedem pequenas empresas de competir com as grandes devido aos custos de adequação. Mas este é um tipo completamente diferente de prêmio. É uma situação em que é dado a uma empresa o poder de ignorar decisões judiciais, no que se resume a um esquema de desregulamentação para um determinado conjunto de indústrias”, escreveu ele.
John Vidal escreveu no jornal inglês The Guardian que a notícia boa com relação à Lei de Proteção à Monsanto, segundo seus oponentes, é que por fazer parte de uma lei financeira mais ampla e temporária, ela será formalmente expirada em setembro. A notícia ruim, no entanto, é que o precedente foi aberto e é improvável que a maior empresa de sementes do mundo e principal condutora da polêmica tecnologia transgênica vá aceitar abrir mão de sua nova proteção legal. A empresa, de fato, agora dita as regras.
-
Com informações de:
Sen. Roy Blunt: Monsanto's Man in Washington – Mother Jones, 04/04/2013.








16 comentários:

  1. Pois é Sonia querida, e nos oferecem botões pra curtir tudo isso, enquanto nos " auto-atropelamos' buscando uma saída...o temor pode estar em quem puder não existir pra se salvar, pois estão fazendo enormes cacas com exterminicidas e afins por todo lado.
    E o mundo não para pra gente descer.
    Beijo e abraço orgânico e ultra natureba e um banho de ervas pra fechar a guarda...
    maurício.

    ResponderExcluir
  2. Não para mesmo, Maurício, e quem estudou História sabe que o mundo sempre foi assim, cheio de tiranos e conquistadores, ladrões e mentirosos, corruptos e corruptores. O cerumano não é bacana. Tem razão o p.m., que escreveu bolo'bolo: "Três mil anos de civilização e duzentos de acelerado progresso industrial deixaram a gente com uma enorme ressaca. A tal da economia se tornou um objetivo em si mesma, e está quase nos engolindo. Este hotel aterroriza seus hóspedes. Mesmo a gente sendo hóspede e hoteleiro ao mesmo tempo."

    ResponderExcluir
  3. Uau... A coisa esta pior do que eu pensava. Que horror!

    P.S. Gostei muito de seu blog.

    ResponderExcluir
  4. Triste.
    Os governos só enxergam indicadores financeiros:não se cogita um tipo de riqueza com resultados nas esferas ambiental, social e cultural.
    E assim vamos, pagando taxas e engolindo, bebendo e respirando porcarias.

    ResponderExcluir
  5. recomendo a todos que assistam no youtube "o mundo segundo a monsanto"

    Aqui no Brasil também sofremos com os lobistas dessa empresa, A CTNbio - orgão responsável pela autorização de cultivares trangenicos no país, libera tudo quanto é lixo de transgênicos que essas empresas transnacionais querem. Quando o arroz transgênico foi proibido por ações de entidades civis, o pessoal da CTNbio quase teve um troço, já que eles não representam os interesses do Brasil e de seus habitantes, mas o interesse dessas empresas.
    O ruim é que isso é uma bola de neve e a tendência é ficar cada vez pior.

    ResponderExcluir
  6. Olá, Sonia! Td bem?

    Tenho uma pergunta.. Fiz o exame de fezes e deu ameba e lombriga.. Eu também tenho candida e já fui diagnoicada com sindrome do intestino irritavel.. Há dias em que sofro com excesso de gases fétidos.. São os vermes??

    Um abraço!

    ResponderExcluir
  7. Amebas e lombrigas tornam o terreno ideal para fungos, e todos eles juntos são bem nocivos, Raquel. Síndrome do intestino irritável é como alguns gostam de mascarar essa realidade irritante. Depopis de tratar os vermes e protozoários, vai ficar muito mais fácil livrar-se da candidíase. Um abraço!

    ResponderExcluir
  8. Oi, Rildo, a gente se esquece de que nos EU, no Brasil e em muitos outros lugares a tradição dos governos é proteger o capital. Veja só como o nosso governo protege empresários como Eike Batista; é um escândalo, mas eles sempre vão achar mil justificativas para tal. Agora, se for você ou eu devendo ao banco...

    ResponderExcluir
  9. Sonia, ao menos um governo nada contra a corrente, o Peru, que acaba de firmar outra proibição de 10 anos para Monsanto! O Peru tem mais de 100 variedades de batatas –e sabe protege-las :)
    Fonte: www.hortaurbana.com.br

    ResponderExcluir
  10. Cerumano? Sério mesmo? CE-RU-MA-NO? O que é CERUMANO?

    ResponderExcluir
  11. Cerumano, Manuela, é um bípede em tudo parecido ao ser humano, do qual é praticamente indistinguível e inseparável. Mas tem horas em que fica muito claro que ele não passa de um cerumano, assim tudo junto e com c... Tipo um downgrade, sabe como é?

    ResponderExcluir
  12. Silvia - BH01/05/2013 23:40

    Otimo o cerumano em contraste com o reipolho!!! Que prazer conhecer estes novos vocábulos.

    ResponderExcluir
  13. Novos vocábulos precisam de leitores atentos!

    ResponderExcluir
  14. Sonia, é demais o seu blog. A humanidade precisa lhe agradecer.
    Eu particularmente lhe agradeço, especificamente, pela dica que li um dia por aqui, sobre o livro 'Cem anos de mentira'.
    Estou terminando de ler, e acabo, sempre, cada vez mais estarrecido.

    Lembrei de você ao ler sobre esse projeto, que provavelmente tu deve conhecer: http://slowfoodbrasil.com/arca-do-gosto

    ResponderExcluir
  15. Oi, André, é mesmo de estarrecer. E quanto mais a gente presta atenção, mais estarrecido fica. Haja desapego! O Slow Food, conheço. Acho bacana, mexe com as pessoas. Mas a indústria de pseudoalimentos é tão poderosa que nem se coça... Um abraço!

    ResponderExcluir