sábado, 10 de outubro de 2009

Comer bem: Arroz integral, só muito mastigado

Não é à toa que nos restaurantes macrobióticos o arroz integral vem numa cumbuquinha separada. Sem entrar no mérito da quantidade, que para alguns pode ser excessiva, é sábia a orientação de comê-lo sozinho, no máximo com um pouco de gersal e salsinha picada; na verdade, a mastigação do arroz integral puro, simplesmente cozido com um tico de sal, sem gordura, é uma das experiências mais interessantes da vida comestível. Eu diria mesmo que é uma das grandes meditações que se faz com a boca. Não é à toa que o nome original era Macrobiótica Zen.

A gente abocanha uma garfada de arroz - estou falando do arroz integral cateto, grão curtinho - e no início ele é aquela coisa macia e rechonchuda que cede inteiramente aos dentes, permitindo que a saliva se amalgame à polpa à medida que se mastiga. De um lado, de outro, de um lado, de outro, a seiva de arroz com saliva escorrendo goela abaixo enquanto os dentes vão e vêm. Um arroz integral bem feito desperta o reflexo de mastigar.

Quanto mastigar? 32? 100 vezes? Quantas forem, até o arroz desmanchar. Sobra entre os dentes somente aquela pele que ele tem. Que é o que o torna integral, com nutrientes importantes e fibras que ajudam o intestino a funcionar. Os dentes agora mastigam de outro jeito. Cortam. Quando aquilo também se desfaz ao máximo, a língua empurra pra trás e a garganta engole. Tudo o que a boca podia fazer foi feito.

Arroz integral comido sozinho, em pequena quantidade, como a iguaria que fica por último no prato, a mais valorizada das porções de comida. Nada de molhos e misturas. A boca reconhece o docinho do arroz na primeira garfada. Três ou quatro bastam, o mais é gula.

66 comentários:

Anônimo disse...

Sonia; Gostaria de falar, mais uma vez, sobre o virtuoso óleo de côco. É possível obtermos os mesmos benefícios com a ingesta da polpa do côco, haja vista que o óleo é extraído dessa parte? Ou há benefícios que só encontramos quando da extração do óleo? É que eu moro na Bahia e aqui a facilidade de consumo do côco é enorme...
Um grande beijo com admiração, carinho e gratidão,
Luisa

Sonia Hirsch disse...

Oi, Luisa, digamos que o óleo tem uma concentração dos poderes do coco, e o coco tem as fibras que faltam ao óleo. O dr Luiz Meira recomenda aos pacientes comerem coco ralado nas refeições, que é o que os indianos fazem habitualmente. O uso do leite de coco (que tem o óleo dentro) também é favorável. Um abração!

Wagner Ayuso disse...

Ola Sonia.Passei pra deixar uma dica de um depoimento de uma cientista e Beneditina espanhola sobre vacinação contra a gripe A h1n1.
Ela reuniu as informações e explicou-as a luz da Ciência numa forma clara para todos.É um material sério,baseado em dados oficiais.
As pessoas que tem que se desdobrar para conseguir um alimento,agua e ar,decentes para consumir,ao vê-lo,ficarão tristes,sim tristeza eu acho que é o sentimento mais adequado.Porém é questão de risco de morte.
Eu gostaria de deixar algum comentário mais alegre,mas...
Os vídeos são "Canpanas por la gripe A"no youtube ou no meu blog esta postado a parte 1 de 6.
Abraços e bunitinho seu hai kai da cerejeira

:=] disse...

Hehehehe...essa sua descrição foi quase tangível. Parece até que eu estava mastigando o dito cujo arroz. Gosto muito de ler seus escritos. Tomei a liberdade de postar esse seu texto como postagem inicial na minha tentativa de compartilhar aquilo que tenho lido/ouvido/aprendido blogosfera a fora. Se houver algum problema nisso, diga-me que eu deleto! Abração!

Sonia Hirsch disse...

Oi, :=], nenhum problema, imagina! E fiquei feliz com o seu retorno. São dois enormes prazeres: escrever e mastigar... Abração!

Sonia Hirsch disse...

Oi, Wagner, vacinas tô fora. Indústria farmacêutica tô fora. Medicina aterrorizante tô fora. A luz da ciência é bruxuleante por definição. Sou mais a promoção da saúde. Comida para todos! Educação! Dentistas! Fitoterapias, massagens, grupos de convivência, casas de parto, acupuntura, homeopatia - esta é a praia deste blog. Materiais sérios e dados oficiais, só se passarem na minha peneira - que é apertadíssima. Olho vivo.

Wagner Ayuso disse...

Então pensamos parecido.Esse vídeo fala exatamente do perigo da vacina e denuncia a contaminação com vírus vivos nela já encontrados.A preocupação que comparto com ela é a da possibilidade dessa vacinação ser compulsória.
DA próxima vez deixo mais claro com aspas em "dados oficiais",por exemplo.
Abraço

Sonia Hirsch disse...

Oi, Wagner, já li que nos EU pretende ser compulsória. Ao mesmo tempo, muita gente lá consegue liminar na justiça para não vacinar os filhos e ainda assim mantê-los na escola, ou seja, existe resposta à altura. Aqui? Não sei. Mas repetidamente lembro do adágio: "Quem é burro pede a Deus que o mate e ao Diabo que o carregue".

No seu comentário parecia que o depoimento era favorável à vacina. Ainda bem que pensamos igual! Abração e bom domingo :-)

Anônimo disse...

Oi Sonia, td bem? Gostoso ler seu blog.
Que bom que vem a SP. Irei encontrá-la com certeza. Bjs com saudade. Lelê

Anônimo disse...

Cara Sônia
O que você acha do néctar de agave, que começamos a encontrar aqui no Rio? Passa pela sua peneira apertadíssima? rsrsrsrsrss

Sonia Hirsch disse...

Lelê, que bom seu oi! Tudo bem? Como vão os pirralhos? Beijos em penca! :-)

Sonia Hirsch disse...

Néctar de agave, sabe qual é o problema? É que não uso nada pra adoçar, então nem vi ainda de perto... E você, Anônimo, gostou?

Anônimo disse...

Gostei muito, o sabor é gostoso e bem neutro, bom pra quem não gosta de melado e acha que mel não combina com tudo. Pras horas de larica é bom...

Anônimo disse...

Mas gostaria de saber de você, fonte confiável, se ele é virtuoso ou se tem contraindicações.

Sonia Hirsch disse...

Eintão, como dizem em SP, não sei... Vou procurar saber. Saber=sabor=saborear. :-)

Vera Falcão disse...

Arroz integral assim puro e macio, só com um colherzinha de gersal por cima, é como a ambrosia com a qual os deuses se deliciavam no Olimpo... É de lamber os beiços, como diria Tia Nastácia.

Dani disse...

Adoro, puro mesmo, da forma como descreveu. E conheço muita gente (inclusive minha família) que não gosta.

Eu digo que gostam de ser enganados, pois o arroz integral é que é arroz de verdade.

Sonia Hirsch disse...

Ultimamente tenho feito com cúrcuma e comido sem gersal, já que é pra comer pouco. E como é difícil comer pouco arroz bom, né, Vera e Dani? ;-)

Anônimo disse...

Oi Sonia, conheci seu blog agora e estou gostando muito. Adoro arroz integral e gostaria de saber o que voce acha deste do arroz que é vendido com outros cereais integrais, chamado de arroz sete cereais? Obrigada! Flávia

Sonia Hirsch disse...

Oi, Flávia, acho interessante para variar. Mas, como eles têm tempos de cozimento diferentes, é bom deixar de molho na véspera. Bem-vinda! Abração!

Anônimo disse...

Obrigada Sonia, vou fazer isto! Uma abraço, Flávia

Anônimo disse...

Querida Sonia;
Estou começando a descobrir os germinados... Comi algumas sementes de abóboras e as achei bem amargas... Brotos têm esse sabor forte assim? Deixei algumas outras sementes de abóbora na terra e já saiu umas tenras folhinhas verdes, miúdas e vivas. É possível comê-las já meio grandinhas?
Muuuuito obrigada!
Beijo grande,
Luisa/Salvador

Sonia Hirsch disse...

Oi, Luisa, nunca comi semente de abóbora germinada. Gosto especialmente de semente de girassol germinada ou já em broto grande, gosto de amendoim... O jeito é ir experimentando. Beijo!

Luce disse...

e o arroz preto? ele pode substituir o integral para variar um pouco? eles se equivalem? bjs, adoro seu trabalho e acompanho sempre!

Sonia Hirsch disse...

Qualquer cereal pode substituir o arroz para variar um pouco: arroz preto, cevadinha, painço, quinoa, amaranto, milho, trigo, aveia em grão. Todos mais ou menos se equivalem, cada um com sua característica pessoal e intransferível. Abração! :-)

Anônimo disse...

Oi Sônia, tudo bem? Tentei seguir a receita para fazer o óleo de coco da forma mais fácil, conforme você sugeriu. Entretanto, não consegui, pois o líquido se misturava com a parte branca, embora tenha seguido a risca sua receita. O que saiu errado? Aguardo sua resposta. Um grande abraço, Rita.

Sonia Hirsch disse...

Rita, não sei qual receita você seguiu; se não deu certo, tente de outra forma, veja todas as receitas em http://www.soniahirsch.com/2009/08/oleo-virgem-de-coco-como-fazer-em-casa.html . O importante é tentar pra acabar acertando. Abração!

Anônimo disse...

Querida Sônia,

Desto insistir, mas dessa vez eu vou. Ainda quero aquela indicação de um médico, pode ser ginecologista ou clínico geral, que tenha a cabeça aberta pras coisas que você apregoa em seus livros. Eu tenho ovários policísticos, querem me tacar remédio pra resistência a insulina, pírula anticoncepcional das fortinhas e remédio pra o colesterol.

Estou em São Paulo, capital.

Quando a menstruação atrasa por causa desses ditos ovários, fica um desconforto na pelve. tenho usado o implastro de inhame e alivia. Obrigada pela dica. aprendi no Só pra Mulheres.

Beijo,

Mariana

Sonia Hirsch disse...

Oi, Mariana, vou procurar saber de alguém em SP. Enquanto isso, você já está fazendo alguma dieta? Sugiro a do dr Barcellos, que ajuda a desinflamar os tecidos. Ela está em www.correcotia.com/cancer . Quando eu fiz, meu útero que era sempre aumentado, prenunciando mioma, voltou ao tamanho normal.

Só por não consumir leite e laticínios a coisa já muda completamente. Abração

heloisa de mesquita inoue disse...

Oi!? Sonia, estou sentindo sua falta na revista Bons Fluidos!

Wagner Ayuso disse...

Ola Sonia Procurei um "procurador"no seu blog e não achei.Como faço para pesquisar um tema qualquer dentre suas postagens?
Um abraço.

Sonia Hirsch disse...

Oi, Wagner, não é na caixinha lá no alto à esquerda? Sempre procuro por ali - e funciona... Abração!

Teresa disse...

Arroz integral sempre me lembra Cássia Kiss. A atriz já contou que no início da carreira, vacas magras, ela só se alimentava de arroz integral. Sempre me lembro disso quando enfio o pé na jaca dos latícinios (adoro queijo!) Aí, vou pra cozinha e faço meu arroz integral na panela de barro, fiel companheira há 20 anos. O corpo pede uma limpeza dessas de vez em quando. teresa Prata

Sonia Hirsch disse...

Oi, Teresa, eu já diria "de vez em sempre" - acho que comer um pouco de arroz integral todo dia é como varrer e passar pano no chão da casa... Bem-vinda, abração! :-)

Anônimo disse...

Olá Sonia,
Queria agradecer muito esse seu post.
Depois de muuitos anos me lembrei dos tempos do restaurante macrobiótico no pé da Paulista. Nos tempos de estudante comia sempre lá. O gersal podia trocar por toda a porção do arroz...
Agora uns 25 anos depois, na Alemanha saí à busca do arroz integral redondinho (longo eu encontro em todo lado).
Mas e o gersal?
Dei uma busca na Internet, e não imaginava ser tão simples fazê-lo. A culpa foi da memória emocional...
Já há duas semans que como regularmente esse néctar.
Cris Stein

Sonia Hirsch disse...

Mastigando juntos, Cris! Abração!

Ti Oliveira disse...

Oi querida Sônia!!
Fiquei com uma dúvida, e nocaso das papinhas pro neném?No "mamãe eu quero"vc recomenda, 50 ou 40 % de cereal.Até arroz integral.vc acha tranquilo, dar bem molinho?E outoas tipos de grão também?pelo que entendi sim, milho,trigo etc...
Onde posso pesquisar isso td mais um pouco?beijo enorme, obrigada por tudo!
Ti

ps:vê se ficou legal: http://casadeumnenem.blogspot.com/search?q=s%C3%B4nia

Sonia Hirsch disse...

Oi, Ti, não entendi sua dúvida. O que está no Mamãe eu quero funciona bem. Você pode pesquisar mais nos livros indicados na bibliografia do Mamãe e dos meus outros livros, mas há muita coisa boa na praça atualmente e mais ainda na rede.

Legal seu blog! Boa sorte, um abraço!

Ti Oliveira disse...

desculpe Sônia, não me expressei bem...tudo bem então, dar arroz intergral pra um neném , que recém comecóu a comer?Grãos em geral tbm?
obrigada
Bjs

Sonia Hirsch disse...

Ti, papinha de arroz integral, certo? Papinha. Como está no Mamae eu quero. E papinha de outros cereais, também como está lá. OK? Beijo.

Fátima disse...

Olá Sonia, eu como arroz integral todos os dias(não sei comer sem). Eu cozinho uma porção grande e guardo na geladeira, tiro pequenas porções e esquento no microondas. Desconfio que isso não tá certo.O que você acha? obrigada. Beijos.

Sonia Hirsch disse...

Oi, Fátima, comida na geladeira começa a dar mofo em 24 horas. Se tem que guardar, melhor dividir em porções, congelar e tirar algumas horas antes.

Sobre microondas, a comida se aquece pela fricção que as ondinhas provocam nas moléculas. O arroz vai continuar a ter fibras, mas sua estrutura molecular estará toda alterada. O calor da fricção não transfere calor ao corpo. Para resumir, de fato seria melhor esquentar tudo no fogo. Um abraço!

Fátima disse...

Sonia, muito obrigada pelos seus esclarecimentos. Que bom que você existe! :))

GLOS disse...

Que fofo o seu texto! E gostoso! Cheguei a ele por acaso, procurando uma receita e...perdão:um acompanhamento para o arroz integral.Surpreendi-me ao perceber que ele dispensa acompanhamentos, bastando-lhe uma folhinha verde que mais enfeita do que acompanha;se bem que adoro o gosto de folhinhas verdes.E que a quantidade a ser comida é pequena,portanto,nada de um prato cheio de arroz integral(entendi certo?).Você me deixou com água na boca descrevendo a mastigação do arroz, e já estou indo à cozinha ajudar o marido nessa feitura que iremos saborear juntos.Antes descrever pra ele com as minhas as suas palavras. Um grande beijo.
Glosvalda

Sonia Hirsch disse...

Bons apetites, Glos!

Creida disse...

Sonia, que bom te encontrar aqui, sou sua fã e acompanho seu trabalho há anos. Curto o jeito que escreve, sua franqueza e e a maneira de lidar c/ seu público. Aprendi a ser natureba c/ vc, e não sabe o bem e a diferença que isto fez na minha vida. Parabéns pelo seu trabalho. Abração! Creida.

Laercio de Vita disse...

Sônia,
Soube que Sally Fallon aconselha deixar os cereais integrais de molho antes de levá-los ao fogo.Tal procedimento tem por objetivo, pelo que entendi, diminuir o teor de ácido fítico.Teríamos o mesmo resultado usando o arroz semipolido?

Sonia Hirsch disse...

Oi, Laercio, faz tempo que não via seu nome na telinha. Tudo bem?

Sobre deixar o arroz semipolido de molho: a mecânica é a mesma, portanto deve atuar da mesma forma. Um abraço!

Laercio de Vita disse...

Sônia,
Creio que não me fiz entender.Minha questão é saber se o arroz semipolido - sem ser deixado de molho! - é uma alternativa ao excesso de ácido fítico. Obrigado.

Anônimo disse...

gostaria de saber se posso comer arroz integral em grande quantidade?

Bela Gil disse...

Oi Sõnia,
tenho uma dúvida parecida com a do Laercio. É realmente preciso deixar o arroz de molho por causa do alto teor de ácido fítico? Se sim, vc saberia qto tempo? E os feijões? Tenho receio de deixar os feijões de molho por uma noite por causa da fermentação, então deixo em média 4 horas, mas dizem não ser suficiente para neutralizar os inibidores de enzimas e o ácido fítico? Vc poderia me amparar nesse assunto?

Sonia Hirsch disse...

Oi, Bela, não posso responder em termos científicos, que não me interessam tanto quanto a tradição.

E esta recomenda deixar o feijão de molho duranmte a noite para que se hidrate e com isso ative seus elementos de transformação em planta. Fica mais saboroso, cozinha melhor e em menos tempo, é mais fácil de digerir, dá menos gases.

O arroz pode ou não ficar de molho. Não é uma tradição. Há controvérsias. Eu sempre fiz direto, torrando um pouco na panela seca antes de botar água e sal. De vez em quando deixava de molho, só pra variar. É ótimo ir experimentando. Na dúvida, comer pouco. Um abraço!

Sonia Hirsch disse...

Ah, sobre a quantidade: tudo o que é demais faz mal. "A quantidade altera a qualidade", dizem os mestres. Não adianta ser muito bom em qualidade se sobrecarregar o sistema digestivo, dando início a problemas em série.

Bela Gil disse...

Muito obrigada pela resposta. Falei outro dia com o professor Kikuchi pois estava com essa duvida muito forte quase se como eu estivesse fazendo a coisa errada. E ele me disse pra deixar o feijao de molho a noite e o arroz se for cozido na pressao nao precisaria ficar de molho. Exatamente como vc. Mas por ter o lado cientifico bem forte dentro de mim ainda assim nao estava 100% convicta. Ja para o Michio Kuchi o arroz fica de molho por umas 6 horas e o feijao no maximo 4 hs. E como sua sabedoria e intuicao nao falham, entao resolvi lhe perguntar....Outra perguntinha, vc recomendaria deixar nozes e sementes de molho ou nao? Nao tenho o costume de deixar de molho pois gosto delas torradinhas, mas como como com frequencia tenho receio delas nao estarem me dando os nutrientes necessarios.

Sonia Hirsch disse...

Alguns autores recomendam deixar nozes e castanhas de molho, assim elas se tornariam mais fáceis de mastigar e digerir. Outros dizem para tostá-las levemente. Na dúvida, experimente e desfrute...

Sonia Hirsch disse...

"Não existe dieta perfeita. Mesmo que você a encontre, o desejo de variedade vai fazê-la mudar - e isso é saudável." Christiane Northrup, médica no sentido grandioso da profissão

Bela Gil disse...

Muito obrigada por dividir o seu conhecimento! Tenha uma boa semana...

Sonia Hirsch disse...

Mas o conhecimento não é sempre de todos? ;-) Boa semana pra você também!

Bela Gil disse...

Concordo plenamente com vc. Mas nao e a realidade da nossa sociedade nao e? se todos as decisoes politicas e economicas fossem feitas com transparencia e se o conhecimetno chegasse a todos, estariamos sim vivendo em um mundo perfeito.
Tem um filme chamado Forks over Knives q trata um pouco sobre o poder que industrias alimenticias e da saude tem na saude da populacao americana especificamente. E tambem falam de dos beneficios de uma dieta baseada em produtos vegetais.
Ah, eu tambem tento dividir um pouco da meu conhecimento no meu blog http://www.belagil.com/ e com a troca de informacoes eu percebi q muita gente procura se alimentar bem mas sao enganadas pela industria.

Sonia Hirsch disse...

Esse poder da indústria americana já chegou ao Brasil, infelizmente. A "nova classe média" reduziu de 12 para 9 quilos por ano seu consumo de feijão e aumentou em 40% o de refrigerantes, carboidratos do mal e porcaritos. Os hospitais não têm mais lugar para esse povo que come mal e adoece, alienado de si e do mero bom senso alimentar.

Visitei seu blog e fiquei com muita saudade dos meus tempos de macrô quando vi os bolinhos de painço. Ô coisa boa comer cereais e vegetais bem feitos!

Anônimo disse...

Susto total!
Arroz integral deve ser comigo pouco? Eu não como outro arroz e como o integral junto com minha refeição, almoço e jantar, todos os dias... Coloco cenoura crua ralada, às vezes gengibre, às vezes ervilhas, às vezes brócolis...
Como junto com a carne (ave caipira, peixe de água doce ou sal), com a salada, com farofa, com purê, com batata doce frita, enfim...

Eu tô boiando nesse lance de ter que ser uma 'pequena porção comida sozinha'... porque esse detalhe no arroz integral?

Beijos!!!!
Cariny

Sonia Hirsch disse...

Cariny, alarme falso. Faço uma louvação a um último bocado de arroz mastigado puro, com seu próprio sabor, com despedida do prato. Talvez se você reler...
Um abraço!

Dudu disse...

Ai, Sonia, vc, hein?
Venho aqui pesquisar sobre arroz cru para vermes e acho isso. Naonde que vou resistir de cozinhar um arroz fresquinho pra hj a noite? Fui correndo tirar a panela de barro do armário? rsrsrsrs
Coloquei de molho um restinho de 7 grãos (já estava aberto) e não vejo a hora de chegar a hora do jantar rsrsrsrsrsrss
Eu quase nunca como arroz, tenho fases mais ou menos arrozeira. Acho que está na hora de voltar à fase mais. (até pq acabei de ler o texto da dieta do Dr. Barcelos)
:)
Se der, coloque algumas receitas de painço, comprei uma vez mas não achei como fazia e acabei deixando o pacotinho lá fechado...
:S

Dudu disse...

Vc escreve de um jeito que faz a gente babar no teclado rsrsrsrsrs

Sonia Hirsch disse...

Painço cozinha mais rápido que arroz integral, Dudu. Ponha menos água e fique de olho até achar sua medida certa. Um abraço, e por favor não babe no blog!

Dudu disse...

rsrsrsrsrs
Mas é só cozinhar? Depois posso usa-lo em receitas como as de arroz?
:)