terça-feira, 1 de fevereiro de 2011

Direitos do povo: Reajuste para professores igual ao dos senadores, 61, 78%, e ainda assim...

Os senadores Cristovam Buarque e Pedro Simon, em 20/12/2010, apresentaram projeto de lei estendendo o mesmo reajuste salarial concedido aos senadores ao Piso Salarial Profissional Nacional dos professores de educação básica das escolas públicas brasileiras.

Com o reajuste de 61,78% para os senadores, o piso salarial dos professores passaria de R$1.024,00 para R$1.656,62. Salário mensal dos parlamentares: R$ 26.723,13.

Para o senador Cristovam Buarque, essa desigualdade salarial absurda traz conseqüências desastrosas para o futuro do Brasil. A aprovação do reajuste de 61,78% para os professores da educação básica permitirá ao Senado uma demonstração mínima de compromisso com a melhoria da qualidade da educação das crianças brasileiras, o que contribuirá, segundo o parlamentar, para melhorar a credibilidade da Casa frente à opinião pública.

A petição é pela aprovação dessa lei JÁ! Acabei de assinar: http://www.peticaopublica.com.br/?pi=P2010N4645

Ainda acho pouco. Não há nada mais importante e urgente do que a educação básica neste país. A escola precisa atrair professores jovens, capacitados e dispostos a encarar a tarefa de revolucionar a educação pública.

E há outro projeto do senador Cristovam Buarque na espera: filhos de políticos só poderiam estudar em escolas públicas.

8 comentários:

  1. Sonia, eu concordo com ambos os projetos, e com a tua afirmação de que não há nada mais urgente do que investir na educação básica nas escolas públicas. Entretanto, fico pensando no projeto que obriga filhos de políticos a estudar em escolas públicas. Porque existirão umas poucas escolas-modelo, em que os políticos investirão dinheiro público e onde todos os filhos de políticos de uma determinada localidade estudarão... A não ser que haja um dispositivo específico impedindo que isso ocorra.

    ResponderExcluir
  2. Ué, Silvia, mas há políticos nos 5500 municípios brasileiros, portanto todos teriam interesse em melhorar as escolas locais, não? Acho que a ideia é essa. Pra melhorar pros filhos deles, tem que melhorar pra todos.

    ResponderExcluir
  3. Luiz Fernando03/02/2011 20:50

    Sônia, não há protesto, manifestação pública, indignação popular ou denúncia que mude a realidade deste país. O único meio de realmente mudar o panorâma do professor brasileiro é contando que os próprios docentes invistam na conscientização de seus alunos, que futuramente ocuparão os cargos de poder. Como infelizmente os professores pouco se preocupam em desenvolver o mínimo de senso crítico e noção ética, o problema vira uma bola de neve ou círculo vicioso. Neste contexto, é válido sempre lembrar que o ensino público brasileiro é um dos piores do mundo. Os professores são despreparados, desamparados e, quando não são burocratas de plantão, são contraventores da pior espécie. A mínima parcela que se dedica à mudança não possui forças suficientes para mudar a realidade de um país inteiro. Estou cada dia mais convencido de que o único meio de mudar a educação brasileira é lutando contra todos os paradigmas conforme os quais ela foi concebida, desde os jesuítas até hoje.

    ResponderExcluir
  4. A mim parece que o currículo escolar básico é muito defasado da realidade. Deveria ser mais compacto e pragmático, aproveitar as novas mídias e empregar um novo tipo de professor, afinado com elas, pagando bem. Dedicar 50% do tempo a esportes, música, teatro, culinária, leitura, pesquisa pessoal...

    ResponderExcluir
  5. Gostei do projeto para os filhos dos políticos. Penso que a legislação deveria estar mais de acordo com a realidade. Fazer com que todos sejam promovidos/aprovados mesmo sem saber ler com certeza contribuiu muito para piorar a coisa. Agora... está difícil sair desse buraco. Seria preciso desvincular as escolas da política. Índices, estatísticas, avaliações são mascaradas na tentativa de melhorar as aparências, a coisa é ainda pior. A esperança está numa minoria que se esforça para fazer bem o seu trabalho. E vamos chegar lá.

    ResponderExcluir
  6. Acabei de assinar! vou postar a matéria no FACE e mandar email pros meus amigos!bjs e boa semana pra todos!

    ResponderExcluir
  7. A questão não é só o valor do salário dos professores, é a capacitação que eles tem. Muito professores não conseguem passar em provas do governo sobre a disciplina que lecionam e recebem o aumento mesmo assim. Isso é desperdício, assim como com os parlamentares.

    ResponderExcluir
  8. Pois é. E a maior parte das escolas municipais no interior do RJ são de dar vontade de chorar, tipo duas séries na mesma sala e teto caindo.

    Como já disse aqui, eu faria uma grande reforma no ensino fundamental se tivesse a chance.

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário ou pergunta, se quiser, mas saiba que no momento é improvável eu responder, devido a mil coisas, cursos & viagens. Também vem novidade web aí. Agradeço. Abraços, Sonia

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.