quinta-feira, 5 de junho de 2014

Para sobreviver melhor

Por trás de nossos atos, palavras e pensamentos, ao longo de todos os dias e noites da vida, respiramos. Incessantemente, trilhões de vezes, tão sem esforço que mal dá para notar. Podemos viver muitos dias sem comida, alguns sem água, nem cinco minutos sem ar. A troca que acontece nos delicados alvéolos pulmonares tem que ser constante: entra oxigênio, sai gás carbônico. É uma lei primária de sobrevivência.

Mas isso não quer dizer que sempre respiramos bem. Prendemos a respiração, sem perceber, em momentos de susto ou medo; ficamos sem ar diante de uma notícia grave, esquecemos de respirar quando preocupados com alguma coisa. São paradas que refletem um estado de tensão e servem para aumentá-la. 

Uma pessoa que fuma acende um cigarro nessa hora e dá uma tragada funda. Outra, com noções de meditação e yoga, vai fazer um esforço consciente para trazer a respiração de volta. Porque não é só a troca de oxigênio por gás carbônico que interessa: há um ritmo de vida que a respiração comanda, e o movimento do ar, seja puro ou poluído, mexe com a energia mental.

A respiração rápida excita, a respiração lenta acalma. A rápida é forte, curta, incompleta. A lenta é suave, longa, profunda: o ar chega até o fundo dos pulmões e beneficia os órgãos internos com sua massagem. O coração, músculo soberano que precisa bater direito para fazer circular o sangue e as emoções, reage imediatamente às mudanças de ritmo respiratório. Não pode ser controlado diretamente, mas obedece à respiração e se organiza quando ela é tranquila.

Morar nas cidades quase que obriga a tomar consciência da respiração. Grande parte da atividade cotidiana envolve andar por vias cheias de gente, motos, carros e ônibus poluentes, letreiros, barulho, perigo. O estresse é inevitável.

Um modo de recuperar o equilíbrio, mesmo no engarrafamento ou na fila do supermercado, é prestar atenção à respiração e fazê-la lenta, longa e profunda. Nada mais monótono: inspira, expira. Nem mais contínuo: inspira, expira.

Poderia ser um tédio. Não é. Aos poucos a pessoa observa com mais calma a passagem do ar pelas narinas e sua descida pelos tubos respiratórios, o modo como o ar enche o peito e a barriga e logo os esvazia, e de repente uma sensação de leveza cintilante está tomando conta da cabeça. Respirar torna-se grande como o céu, como o mar. Nuvens e ondas vão e vêm. Tudo em um espaço interior novo, que aumenta a superfície de contato da pessoa consigo mesma. No fim, observar a respiração é uma forma pessoal de meditação que pode acontecer a qualquer hora, em qualquer lugar, pelo prazer de aquietar a mente e entrar nessa camada suave de existência.

Alguma disciplina pode ser necessária no início ~ por exemplo, contar os tempos da inspiração e da expiração: de 1 a 5 inspirando, de 6 a 10 expirando. Quando esse ritmo estiver estabelecido, manter a inspiração em 5 tempos e ir alongando a expiração até 15, ou mais. Tomar fôlego, inspirando rapidamente uma boa quantidade de ar para soltá-lo aos poucos, é o que fazemos naturalmente ao rezar, cantar ou recitar mantras, que também nos sossegam.


Além disso, a poluição das cidades é menos prejudicial para quem respira bem. As mucosas por onde passa o ar têm cílios minúsculos formando um tapetinho onde fica presa a sujeira. Basta lavar o nariz e a garganta, à noite, com água morna e ligeiramente salgada, para livrar-se dela. Vamos lá?

25 comentários:

  1. Sonia,

    tudo certinho?

    O mais grave dessa 'prática' da não-respiração é que as pessoas estão perdendo a sensibilidade para a expiração: elas não sabem mais expirar completamente, param a expiração 'no meio' para inspirar novamente.

    Em geral, são pessoas que respiram um tiquinho no alto do peito, uma respiração muito constrangida, apertada; são pessoas que desenvolvem pensamentos depressivos, depressão ou até mesmo síndrome do pânico por ter o cérebro acidificado pelo sangue lotado de CO²; são pessoas que desenvolvem pressão alta, refluxo, e com mais tempo insistindo nessa falta de expiração, um coração dilatado, pois a falta de expiração 'completa' deixa a pressão interna do peito maior que a do abdômen.

    Vamos expirar, pessoada!!!

    ResponderExcluir
  2. Tá certíssima, MaFê! Beijão

    ResponderExcluir
  3. Olá Sonia! Sua sua fã!
    É sempre bom dar uma passadinha aqui no seu site.
    Há 1 ano aprendi a importância da respiração. Foi quando passei a fazer Yoga Chinesa.
    Tudo que você falou é exatamente o que aprendi. E garanto faz efeito. Hoje sou outra pessoa. Respirar acalma mesmo!
    Parabéns pelo seu projeto que trás informação para todos. É só saber aproveitar.
    Um beijo grande!

    ResponderExcluir
  4. Delícia de texto! Vou compartilhar! Beijos

    ResponderExcluir
  5. Oi, Denise, eu mesma me beneficiei muito desses ensinamentos, por isso quis passar adiante. A primeira atitude transformadora que tomei na minha vida foi exercitar a respiração. O resto veio em consequência… Muito obrigada pelo carinho, beijo grande pra você também!

    ResponderExcluir
  6. Oi, Érima, que bom você por aqui de novo. Abração, querida!

    ResponderExcluir
  7. Oi Sonia

    Tenho os seus livros todos mas neste momento não tenho acesso ao 'Almanaque dos Bichos que dão em Gente' para poder tirar duas dúvidas. Desculpe se o meu comentário não está no local mais adequado.

    Gostava de saber quando é a melhor altura para tomar vermífugo (uns dias antes da lua cheia? Lua nova?). A minha filha é alérgica a cebola e alho, então comprei um vermífugo natural que tem losna e cravinho (esse: http://www.bioray.com/artemisia-clove/). A minha questão é se a losna é eficaz contra oxiúros e ténias.

    Muito obrigada de coração!

    Um abraço apertado

    Maria, Portugal.

    ResponderExcluir
  8. Oi, Maria, parece ser muito interessante esse vermífugo de artemísia e cravo. Os chineses têm muito sucesso no combate a protozoários com a Artemisia annua, e o cravo é repelente, utilizado também pela Susana Ayres na sopa de abóbora tenífuga que está aqui no site, em http://www.soniahirsch.com/2010/09/mais-susana-ayres-papo-de-vermes.html .
    Vi nos comentários uma referência ao K-Min, terra diatomácea, indicada para começar o tratamento quando se suspeita de vermes grandes, como a tênia, para depois entrar com Artemísia+cravo. Acho que pode ser bom seguir essa orientação. Oxiúros estão no pacote "vermes". Uma receita da Susana para acabar com eles é tomar suco de hortelã batida com água em jejum - um maço de hortelã, um copo de água, coar ou não; de 3 a 7 dias, feito na hora, se possível com água quente. Um abraço e boa estada na terrinha...

    ResponderExcluir
  9. Obrigada Sonia :D

    Eu já dei essa terra diatomácea para a filhota (aliás nós três já a tomamos cá em casa para combater vermes) mas... a psoríase dos meus dois amores piorou. Piorou mesmo... por isso tive de interromper e desistir passados alguns dias.

    Ainda não encontrei hortelã aqui nem em supermercado (!)

    Desculpe insistir Sonia... quando acha que é a melhor lua para exterminar a bicharada - ovos inclusive?

    Obrigada :)

    Um abraço apertado

    Maria
    (você acertou, para já estou na terrinha a aproveitar o sol! Há lá coisa melhor na vida? :D ).

    ResponderExcluir
  10. Ops, Maria, lá vai: diz a sabedoria popular que é melhor tratar nas luas pequenas (as "unhas", tanto faz crescentes ou minguantes); no quarto minguante como um todo (quando ela vira metade e vai encolhendo), e nos meses sem "r", como estes que estamos vivendo até agosto.

    Sobre a piora da psoríase, poderia ser por eliminação de toxinas, já que ela é uma porta aberta, e não agravamento da psoríase em si. Nesse caso seria útil aplicar compressas de argila, ou emplastro de clorofila, para ir puxando as toxinas.

    E talvez você encontre a hortelã em lojas que vendem mudas de plantas…

    ResponderExcluir
  11. Obrigada Sonia!
    Se eu estivesse ao seu lado lhe dava um abraço daqueles!! :D

    Beijão da Maria :)

    ResponderExcluir
  12. Sim também pensei nisso de as toxinas estarem a sair pela pele mas ter uma criança que se coça até ficar com a pele em carne viva não é bom... nem dá para controlar :( portanto para já temos de evitar a diatomácea.

    Um abração - mais um :)

    ResponderExcluir
  13. Olá, aqui vão aquelas minhas reflexões sobre respiração para compartilhar com seus seguidores. Um abraço
    Respirar é preciso
    (Para Vinícius e Gabriel)
    Não é de hoje que ouvimos muita gente dizer: “não tenho tempo nem pra respirar!!!”
    Sabemos que dependemos da respiração para viver, mas por ser tão banal, descuidamos dela. E a falta de um mínimo de consciência na respiração em nosso dia a dia, contribui muito para manter nossa ansiedade e o nível de stress em alta e até desencadear as tantas síndromes que existem hoje.
    A maior descoberta que fiz com a prática da yoga foi reaprender a respirar. Nascemos sabendo e vamos desaprendendo ao longo da vida. Até nossa postura diante do computador dificulta o trânsito do ar.
    Recomendamos também por aí: “Conte até dez...” Isto quer dizer: respire fundo e se reconecte antes de dizer algo de que possa se arrepender, antes de provocar uma agressão a você mesmo ou ao outro, antes de achar que é o fim do mundo ou que o mundo está contra você.
    Respirar, junto com o sono e a boa alimentação, faz parte do pacote de atividades das quais estamos abrindo mão em troca de mais tempo. E todas estas funções, que tem relação com cuidado e restauração, estão virando um fardo.
    Se até nossos aparelhos celulares precisam ser recarregados, porque nós não nos permitimos descansar, nos recarregar? - Para que dormir se eu posso me manter “on line”, conectado com o mundo externo, ou me “pré ocupar” com o que virá amanhã? - Precisamos ter a sensação de que não estamos perdendo nada e lidamos com a vida como mais uma mercadoria para ser consumida.
    Enfim, falta de tempo é real, o stress é real e até certo ponto bom, mas se a respiração não é uma escolha, que ela seja de mais qualidade e nos dê um suporte para lidarmos com toda a nossa demanda diária e nos permita também colocar para fora o que nos envenena.
    Respirar tem a ver com pausa, ritmo, retorno ao nosso eixo.
    Há técnicas e exercícios bem eficazes que podem ser aprendidos, mas a dica que meu professor compartilhou com a gente e que repasso pra vocês é: a cada toque do celular, ou sempre que acionar o alarme do carro, respire bem fundo, expirando bem também pelo menos três vezes e mentalizando algo positivo. Com certeza você terá várias oportunidades ao longo do dia para, através da respiração, regular seu ritmo interno, como ele diz.
    Respirar é vital, mas respirar bem pode ser muito restaurador. E com certeza aproveitaremos melhor nosso precioso tempo.
    LENA

    ResponderExcluir
  14. Que texto bom, Lena! Obrigada por postar aqui. Abração!

    ResponderExcluir
  15. Maria, te mandei um email com um texto interessante sobre homeopatia e psora, donde psoríase. Recebeu? Abração pra você também!

    ResponderExcluir
  16. Oi Sonia,

    Desculpa se eu não estiver usando o espaço mais conveniente, porém gostaria de saber se é possível pedir a manipulação do acidophilus sem receita médica, ou preciso consultar um especialista previamente?
    E hoje em dia é fácil encontrar farmácias q manipulam esses probioticos? Ou tenho q procurar uma específica?

    Muito obrigada desde já.

    Abs,

    Ana Carolina

    ResponderExcluir
  17. Querida Sonia

    Recebi, sim, e respondi. Obrigada de coração :) Você é mesmo um doce! :)


    Mais um abraço :)

    PS: É mais difícil ver as letras do código do que ir a um oftalmologista eheheh

    ResponderExcluir
  18. Ana Carolina, eu ouço falar de tudo: que não fazem sem receita e que fazem, sim. Não deveria precisar de receita. O governo deveria distribuir gratuitamente bons acidófilos, para compensar as porcarias que permite no mercado.

    Há um distribuidor nacional, www.aplacom.com.br .

    Lá fora, gosto dos produtos www.flora-balance.com . Um abraço!

    ResponderExcluir
  19. Oi, oi, Sonia.... Tb nao sei se este espaco eh melhor para te perguntar isso, mas ai vai: estou passando por um processo cronico da tal da candida, mas sou vegana e a sua dieta me deixa quae sem opcao alimentar.... O q eu devo fazer?? E bora respirar.....

    ResponderExcluir
  20. Ah, o anonimo acima chama se.cynthia! Obrigada, Sonia!!

    ResponderExcluir
  21. Cynthia, a candidíase é um problema basicamente da digestão. Se a sua opção vegana leva à candidíase, é porque não está sendo bem realizada ou então não serve para você. Nem sempre a gente pode escolher o ideal. Eu mesma fui vegetariana por mais de 10 anos e tive que voltar a comer carne, cheia de receios, mas foi ótimo pra mim.

    Quanto à "minha" dieta, ela não é minha, está dentro do que indicam os profissionais de saúde que entendem disso. E que mostram como carboidratos pioram o quadro, enquanto proteínas animais com muitos vegetais o melhoram. Boa sorte, um abraço!

    ResponderExcluir
  22. Silvia - BH24/06/2014 13:08

    Uma vez um professor japones já octogenário veio aqui e disse muito claramente: mesmo no local poluído e´melhor respirar profundamente do que nao respirar bem. Melhor comer verdura com agrotóxico se não há opção do que não comê-las. Tem como procurar lugar melhor para andar, uma verdura menos toxica etc.

    Desde que lançou o "Deixa Sair" faço a higiene nasal no banho. E as vezes durante o dia tmabém , pra não falar no Nasalpote que beneficia tanta gente http://www.soniahirsch.com/search?q=nasalpote. Dia destes tivemos contato com um ambiente de péssimo odor. Minha mãe tomou banho, lavou cabeça, me deu toda sua roupa que lavei na hora, e se queixou do cheiro horrivel que não saia. Falei para fazer a limpeza nasal, pronto, ficou livre. Eu já a tinha feito tão logo cheguei em casa e lavei as mãos! ela usa o Nsalpote regularmente onde reside porque tem rinite e o clima lá é muito seco.

    Aliás, depois de usar o Nasalpote é tão prazeiroso respirar!

    ResponderExcluir
  23. Respirei profundamente enquanto lia seu texto e para minha alegria, minhas narinas que estavam entupidas já a dias, estão agora totalmente limpas!
    Percebi também que eu sou daquelas pessoas que só respira pela metade, melhor dizendo, eu ERA, porque agora vou praticar essa respiração o tempo todo!
    Bjs

    ResponderExcluir
  24. Olá Sonia!

    Comecei a fazer a dieta do livro "Deixa Sair", mas não encontrei a bertalha. Posso substituir? E o missô, quais marcas vc recomenda? Apesar de morar em campinas não estou encontrando.

    Agradeço atenção e aproveito para dizer que adoro seus livros e dicas!

    ResponderExcluir
  25. Oi, Helô, eu procuraria o missô do prof. Kikuchi no restaurante macrô Sal Marinho, R. Padre Vieira, 1040 - Centro, Campinas - SP,
    (19) 3232-7541 , você conhece? Aliás, vou a Campinas amanhã e estava justamente pensando em passar lá, porque em Itaipava só tem marca comercial - e missô bom faz diferença. Mas não sei se têm para vender, vou já ligar.

    Liguei. Não vendem, mas me indicaram a loja Macróbios, na Rua São Pedro 33, Cambuí, que tem missô de soja orgânica para vender. Um abraço!

    ResponderExcluir