quinta-feira, 4 de junho de 2009

Almanaque do Banheiro - Vermes, alho e creosoto


Recebo da leitora Kate, lá nos comentários sobre vermes, uma boa pergunta: Será que o molho de alho que compramos pronto funciona contra os vermes? E Creolina?

Trago também para cá a resposta:

Oi, Kate, o molho de alho pronto que eu conheço tem mais vinagre do que alho, e vinagre é para usar pouco, de boa qualidade e bem. Se não, melhor limão.

Se você quer algo com alho para colocar na comida, sugiro azeite de alho: num vidro, se possível escuro, coloque dentes de alho descascados preenchendo 1/3 e complete com azeite extravirgem. Deixe no fundo do armário durante 30 dias, coe e desfrute.

Também pode deixar o alho picadinho de molho no shoyu durante a noite e consumir no dia seguinte.

Ou simplesmente amassar o alho cru e misturar com azeite.

A creolina é um produto químico que inclui um tipo de creosoto. Funciona como desinfetante de uso externo. Conheço duas formas populares de seu uso contra vermes: há quem misture uma colherinha na água e beba; há quem pingue na farinha de mandioca e cada gota vira uma pílula; não recomendo.

Mais adequadas para uso interno, existem no Brasil as pílulas de creosoto Monte Serrat, feitas com creosoto de faia, que entre outras coisas são expectorantes, e nas farmácias japonesas se encontra o Seirogan, outra fórmula com creosoto, usadíssima quando há algum problema de estômago e intestino. Como intestino e pulmões funcionam juntos, e como muitas vezes os vermes que se desenvolvem no intestino fazem seu ciclo através dos pulmões, tratar de um ajuda o outro.

Lembrei agora dos versinhos que lia no bonde:

Veja, ilustre passageiro,
O tipo belo e faceiro
Que tem o senhor a seu lado
E no entanto acredite
Quase morreu de bronquite
Salvou-o o Rum Creosotado!