sexta-feira, 4 de dezembro de 2009

Almanaque do banheiro: Sinusite? Tchau tchau!



Há alguns anos fui apresentada ao neti pot, ou lota, daqui em diante Nasalpote, e fiquei inteiramente viciada. Passei a presentear os amigos com os neti de plástico reciclado, feitos  no mosteiro Vivekananda, que vinham da India em caixas de 50. A caixa viajava embrulhada em paninho de algodão costurado e fechado com lacre vermelho, eu me sentia no século retrasado.

Mas o melhor de tudo  era mesmo o objeto que vinha dentro. Parecia um regador pequeno. Para que? Lavar o nariz, ora essa.

Água filtrada morninha, uma colherinha (café cheia) de sal e a primeira pia é minha: para debruçar, virar a cabeça de lado, encaixar o bico e passar ao ato.

Água na temperatura corporal entrando e abrindo poros, amolecendo melecas, o sal desinfetando, acabando com bactérias, vírus, fungos, larvas marvadas e outros resíduos do mal alojados no nariz e nos sínus. Entrando por uma narina, saindo pela outra. Começo de gripe? Tchau. Sinusite? Nunca mais. Rinite? Haha. Vírus? Hahahahaha...

Todo mundo gostou. Um amigo adotou como guarnição de pizza: comer queijo = lavar o nariz depois. Sério. A maioria das pessoas faz muco espesso e muito nutritivo (para micróbios) depois de consumir leite e derivados.

Mas agora o regador de nariz é fabricado no Brasil. Adeus caixas da India, viva Santa Catarina! Custa menos de 20 reais a unidade, com descontos progressivos conforme a quantidade. O bom é comprar logo 50 e sair dividindo com a família e os amigos. Natal? Nasalpote. Nenhum outro presente vai trazer tantos benefícios por tão pouco. Olhem lá: nasalpote.com.br .