terça-feira, 31 de agosto de 2010

Óleo virgem de coco: Do produtor ao consumidor, uma longa distância

Vem rolando no blog uma pendenga quanto à melhor marca de óleo virgem de coco disponível no mercado. Fique claro desde logo que não interessa a marca: interessa que o óleo esteja bom. Digo esteja porque o óleo é perecível. Sua acidez aumenta. Pode ser que ele seja muito bom no momento de envase e depois não seja, por fatores como material do pote, a tampa, seu revestimento, muita luz, muito calor. É que nem manteiga - sensível. Mas custa 8 vezes mais que a manteiga. Por que não é tratado como produto sensível?

Já surgiram duas marcas nacionais que se gabam de produzir um extra bom óleo. A primeira começou bem e desandou. A segunda, pelo vidro que me mandou pelo correio e que abri hoje, ainda não pode ser recomendada. Não apresenta um óleo virgem de coco de bom sabor. Aroma, nenhum. E um gosto de sabão e solvente no fundo da garganta. Engraçado, déjà vu igualzinho.

De duas, uma: ou cá na terra não fazemos o óleo virgem direito ou não o fazemos chegar direito ao consumidor.

Falta de tradição? Talvez. Nas Filipinas a extração tradicional caseira foi recuperada como forma de aumentar a renda familiar e passou a ocupar centenas de famílias. Alguma sabedoria lá deles nos escapa.

60 comentários:

PaulaZZT disse...

Eu comprei 1, usei pela 1a vez ontem para fazer pipoca, rsrs, pq n1ao sei usar mesmo...
MAs agora fiquei na dúvida, se ele é bom, se não é...
como reconheço um bom óleo?

Sonia Hirsch disse...

Oi, Paula, ele tem que ter bom sabor e bom aroma. Você põe um pouquinho na boca, saliva, engole e verifica se o gostinho que ficou lá no fundo da garganta é bom. Se for amargo, não serve.

O óleo virgem de coco, além de ser bom pra fritar pipoca :-), é um alimento medicinal poderoso. Custa caro e tem que valer o que custa.

Para fritar você pode usar a gordura de coco comum, mais barata e igualmente estável em altas temperaturas.

Links de outras postagens sobre esse tema: http://www.soniahirsch.com/2009/04/oleo-de-coco-rancoso-devolva.html, http://www.soniahirsch.com/2009/08/oleo-virgem-de-coco-como-fazer-em-casa.html ,
http://www.correcotia.com/mulheres/sodacoco.htm . Um abraço!

PaulaZZT disse...

oi, Sonia.
Muito obrigada! Vou testar o meu, ontem na pipoca ficou bom, mas é bom saber que ele pode perder as qualidades até que rapidamente. A Pérola do Pé na Cozinha tem me dado umas dicas ótimas. Hj vou fazer espinafre com o oleo de coco...
pergunta meio idiota, mas melhor perguntar que fazer errado. Eu uso substituindo o óleo que costumo usar, na mesma quantidade? Ou usa mais... menos...

Cida Comoti disse...

Oi Sonia,

continuo com o TheraHerb até você dizer que não é bom, ou quando você recomendar outro melhor.
Por enquanto estou gostando, tem sabor, aroma, não fica amargo na garganta. Gosto muito.

Ahhh adorei sua visita, e vou experimentar o que você recomendou lá no meu blog.

Muitos beijos para você, fica com Deus!!

Cida Comoti

Anamaria do Val disse...

Também uso o TheraHerb, é o único que usei ate hoje, acho que é bom porque é muuuuito gostoso, tem cheiro bom, gosto bom!Só o preço não é bom.....essa gordura de coco a gente acha onde,Sonia?

Sonia Hirsch disse...

Oi, Paula, o melhor uso que se pode fazer dele é cru, no pão ou na torrada, por cima dos vegetais, derretendo num arroz ou cuscus fresquinho. Como um azeite, mais do que como um óleo. Gosto muito com repolho fininho, refogadinho. Um abraço!

Sonia Hirsch disse...

Oi, Cida, que bom você por aqui! Beijos!

Sonia Hirsch disse...

Oi, Anamaria, uma vez me deram um telefone de um box do Mercado Municipal de SP e até comprei, mas agora não tenho ideia de onde possa estar o número. Mas é pra fritura. Um abraço!

Jussara disse...

Bingo! Sabia que minhas impressões sobre o tal óleo não estavam erradas, faltava só vc, nossa fada-madrinha do óleo de coco, confirmar ;). E "gosto de sabão e solvente no fundo da garganta" foi tudo o que eu senti quando experimentei, mas não soube usar as palavras certas para descrever. Acho que foi esse gosto que me causou arrotos a tarde inteira no dia em que o provei.
Enfim, acho que vc está certa quando diz que alguma sabedoria das Filipinas nos escapa.
Aproveitando o comentário da Paula: esses dias tb usei o óleo de coco pra fazer pipoca e ficou muito bom. Não fica pesada como qdo se faz com óleo comum (que eu aboli faz tempo) e nem fica gordurosa.

Desculpe o off topic, mas como sei que esse blog tb é pet friendly: hj estou triste, envenenaram um dos meus três gatos. O meu caçulinha, ainda ia fazer um ano. Tão querido e inocente, super bonzinho e manso, que tirei da rua ainda filhote. Infelizmente não é a primeira vez que acontece, e dessa vez não consegui salvá-lo. Mas se Deus quiser será a última pq se tudo der certo vou mudar de casa no próximo ano e ficar longe desse serial killer de gatos. Se o "cerumano" não consegue respeitar um ser considerado "inferior" (só quem os considera inferior são os que não convivem com eles, pq os meus só não falam pra não darem recado), vai conseguir respeitar um seu igual? Tem dias em que é difícil botar fé na humanidade :'(.

Sonia Hirsch disse...

Ô querida, sei como é essa dor sentida, lá no fundo mesmo, pela inocência do bichinho que estava só ali na dele... Meus sentimentos e ronrons pra você! Beijo!

Daniela disse...

Por curiosidade comprei o oleo de coco virgem da coprasul, não senti amargo na boca mas também não é o gostinho do coco fresco. Cheirei bem e como não tenho parametros de comparação, achei OK.
Olha, comi em jejum como um chá e não me desceu bem, se bem que amo manteiga mas não comeria uma colher no meio da água morna.
Mas para uma troca de fralda, a minha filhotinha agradece!
Tô mais na esperança de um caseiro mesmo.
Bjs e grata por compartilhar!

betina moraes disse...

sonia, meu anjo,

importante sua comparação quanto a forma de produzirmos aqui com a forma com que outros produzem. parece que temos alguma dificuldade em adaptar métodos que deram certo em países as vezes muito mais pobres, por pura falta de interesse das grandes empresas de distribuição de alimentos. é uma pena, pois há gente pesquisando com seriedade no campo da alimentação natural, mas sem apoio nenhum.

quanto ao óleo de coco, eu tentei usar na alimentação e até cheguei a tomar colheres dele cru, porém houve uma rejeição da minha parte quanto ao paladar. forcei e hoje até o odor me causa certo enjôo. li que pode ser por causa da composição química que, segundo pesquisas na área de compatibilidade com o tipo sanguíneo, não seria positivo para os que tem sangue O, por exemplo. sei lá... adoro coco, leite de coco, água de coco então, nem se fala, mas o óleo... para não dizer que o rejeitei 100% uso-o como óleo pós banho e o resultado é fantástico, deixa a pele um seda!

um beijo.

Sonia Hirsch disse...

Meninas, o bom óleo virgem de coco se come puro com prazer, especialmente se não estiver líquido. Desconfio que vosmecês ainda não deram sorte com a compra. Por isso é que prefiro o importado. Pode se alterar também, mas o processo artesanal de feitura mantém qualidades que o fazem durar pelo menos dois anos. Cadê nosso programa de geração de renda que não vê isso?

Concordo plenamente, Betina, o empresariado não colabora. Quem é pequeno e quer manter a qualidade tem que ralar muito e ficar feliz com pouco dinheiro.

Aqui, o óleo que se diz extravirgem é produzido por prensagem mecânica. Acho engraçado dizerem "processo orgânico". Existe coco orgânico, mas "processo orgânico" de prensagem mecânica não consigo entender o que pode ser. Tô burra?

Abrações!

betina moraes disse...

sonia, eu vou experimentar comprar o importado e depois te digo.:)

não tá burra não, querida, é impossível de entender quando o assunto é na base do engodo...

um beijo.

DARS disse...

Oi Sônia, sou leitor antigo de seus livros e recente (2 anos) do seu blog, parabéns e agradecido por tudo!!

Procuro ter e usar o óleo de coco regularmente, e já tive problemas uma vez com fungos, por isso deixava na geladeira, mas como passei a colocar na torrada, achei melhor deixar fora para facilitar o uso. Mas fico receoso de contaminá-lo ou acelerar sua degradação, vc costuma deixar fora ou dentro da geladeira?

Outra perguntinha: gosto muito de sabão de coco para o banho, será que essas marcas comerciais (uso granado) tem teores de óleo que trazem algum benefício para a pele?

Bjs, Daniel.

Sonia Hirsch disse...

Oi, Daniel, não deveria ser necessário deixar o óleo virgem de coco na geladeira, muito menos por causa de fungos; afinal, ele é fungicida. Deve ter caído água ou farelo dentro dele. Depois de abrir, o ideal é consumir em um mês. Você pode guardar na geladeira, embrulhado (a luz prejudica as gorduras virgens), e retirar uma quantidade a cada dois ou três dias.

Sobre sabonetes, o óleo que faz bem para a pele é o mesmo que você come. Sabões somente retiram o óleo. Não há sabonete que faça bem para a pele. Melhor usar bucha e água para retirar as células mortas. Sabão, só nas partes estratégicas. Beijo!

sylribeiro disse...

Oi, SOnia!
em abril comprei um pote de oleo de coco, do dr organico.
usei um pouco, e guardei na geladeira o tempo todo, durante os meses de inverno não usei.
ontem fui experimentar se ainda estava bom, o gosto continua suave, o aroma e o paladar tambem muito saboroso sem nenhum traço de amargor ou aquele descer "quadrado".
escrevi ao site do dr organico relatando isso, eles me disseram que se as caracteristicas de sabor e aroma se mantem boas, que posso usar.
como a gente é leiga e não quer trocar 6 por meia duzia, estou de olho, leio seus comentarios e te pergunto, se vc tivesse diante de algo parecido usaria ou não? tenho muita confiança em você, sonia.
obrigado e abraços!

Sonia Hirsch disse...

Oi, Syl, o óleo virgem de coco pode durar pelo menos dois anos, pois tem antioxidantes suficientes para isso. Eu gosto de proteger da luz e do calor. E se chegasse na sua casa, abrisse a geladeira, visse o pote, provasse um sabor bom e um cheiro bom, usaria feliz!

Agradeço a sua confiança e espero fazer por merecer. Um abraço!

Jussara disse...

Obrigada pelo carinho, dear Sonia ^^.

Sobre o comentário da Betina de pesquisas falando sobre incompatibilidade do óleo com o tipo sanguíneo, o meu tb é O e eu tomo com prazer. Ela não deve ter dado sorte com o que comprou. Uma amiga tb enjoou do óleo e não quer mais nem ver, mas o óleo em questão era o Copra, fato que explica a rejeição :D.
Bjs.

sylribeiro disse...

obrigado, sonia!
:)))

Sonia Hirsch disse...

De nada, Syl! :-)

Jussara, e você experimentou a farinha de coco? Sentiu alguma coisa notável?

Jussara disse...

Sim, experimentei a farinha. Fiz aquela receita da Pat Feldman, as bolachas de coco com queijo. Eu já tinha feito com o coco que sobra quando eu faço o leite, e foi muito bom. Mas quando fiz com a farinha deles, a massa não quis dar liga, esfarelou, não gostei. Tb fiz um bolo e não ficou grande coisa, ficou com gosto de bolo de caixinha :/. Enfim, não senti nada de notável mesmo não. E vc, quais as suas impressões? (caso já tenha experimentado)

Sonia Hirsch disse...

Oi, Jussara, eu não faço bolos, pães e biscoitos, então provei a farinha pura - bebi bastante água - e achei gostosa. Não deu gases e exerceu muito bem sua função de fibra alimentar. Vi que eles indicam substituir 30% da farinha normal por ela, enquanto na web há receitas de delícias feitas inteiramente com a farinha de coco. Obviamente, como esta de que estamos falando é obtida na *prensagem mecânica* do que suponho ser a polpa seca do coco, a a sobra, moída, é a farinha. Deve reter menos umidade e óleo do que aquela obtida por processo tradicional, por isso esfarela.

E segue o bonde, vamos ver o que nos aparece de melhor no devido tempo, né? Abração!

sylribeiro disse...

oi sonia!

eu comprei a farinha há algum tempo, logo que vi a receita da pat, e com ela consegui fazer as bolachinhas mas nao as de queijo, e sim os "puffs de coco com blueberry", usando geleia de damasco caseira no lugar dos berries, da primeira vez esfarelou, mas das outras duas vezes ficou otimo, e como ficam bem fibrosas eu como 3 bolachas ao dia, para mim uma boa medida.
a receita rendeu umas 14 bolachas de tamanho medio, e ficaram muito saborosas, quando estao no forno o aroma rescende pela casa toda, dá uma fome!

infelizmente nao consegui fazer mingau com ela, como queria, porque ela não hidratou.
me disseram para fazer o mingau e colocar ela pura por cima.
bem, ainda nao experimentei mas vou fazer isso logo.

recentemente fiz uma receita de "torta de salsinha", usando ela e aveia, meio a meio, a torta ficou muito boa tambem.

no blog da rita taraborelli
( http://taraborelli.blogspot.com/) tem uma receita com farinha de coco e banana da terra, uma especie de bolinho que ela chama de burger, que me pareceu tao delicioso, que estou me preparando para fazer.
o blog dela é super lindo e apetitoso tambem, recomendo!

tenho usado regularmente junto com outras farinhas e estou me dando muito bem.
gostei do cheiro, do gosto.
para mim foi um santo remedio.

abraços!!!
PS soube há pouco que teremos uma farinha bem fininha, importada como o oleo do dr organico, estou esperando para ver, e comer, nham!

Sonia Hirsch disse...

Nham nham, Syl! Queria ser sua vizinha pra provar essas gostosuras todas... Abração!

sylribeiro disse...

:)))
ah sonia,se deus quiser nao faltarão oportunidades, descobri há tão pouco tempo os bons modos do fogão, sou agradecida todos os dias por essa oportunidade, e a vc, a pat feldman, a carol, e tanta gente boa, nossa!
como sou um ser faminto, eu como tudo e raspo o tacho, nham rsrsrs abraços!

sylribeiro disse...

ai nossa esqueci de mencionar a tutu, que é minha cliente e me trouxe uma visão afetiva sobre as artes da cozinha, ela faz cardápios maravilhosos e quando conheci o trabalho dela, me empolguei, vale a visita.tutugalvaobueno.blogspot.com, ela tambem é sua fã!

Luciana disse...

Olá, fiquei muito feliz em encontrar seu blog, tem um monte de informações que antes só conhecia em inglês :) Vou recomendar pra quem não lê inglês.
Sobre o óleo de côco: vc fala em duas marcas nacionais, uma imagino que seja a Copra, a outra eu não conheço. Estive fora do Brasil uns anos e desde que voltei, há menos de um ano, uso o Copra, que foi o único que encontrei aqui no Recife. Não senti grande diferença pro que eu consumia no Reino Unido, mas confesso que não o consumo cru, só pra cozinhar. Não quero nem imaginar quanto custa esse das Filipinas! Mandando de SP pra PE então!... Agradeço qq informação extra que vc tenha sobre o assunto, inclusive o nome da outra marca. Abraços, Luciana.

Sonia Hirsch disse...

Oi, Luciana, as informações eu vou postando, e tem também uma página no site: http://correcotia.com/mulheres/sodacoco.htm . A outra marca é Finococo. Um abraço!

Michelle disse...

OI Sonia, depois que li seu site comprei o Óleo de coco da Copra mesmo e como pelo menos uma colher de sopa todos os dias... O primeiro vidro veio com mais gostinho de coco que o segundo, mas ainda assim gostei. Confesso que tentei fazer a dieta que vc indica, mas a minha candidíase continua muito resistente, ando até chorando de raiva nas crises!!!
Quanto aos benefícios do coco, acho que outras coisas melhoraram sim, mas ainda preciso me curar desta praga. E não é fácil ficar completamente sem açúcar a carboidratos neste mundo louco onde vivemos e com este fungo de apetite devorador. Tenho sentido dor no joelho, que já pensei ser uma tendinite e foi diagnosticada como tal, mas estou começando a relacionar isso com o fungo, segundo uns artigos que acabei de ler. Será? Tenho sinusite, tireoidite de Hashimoto, sofri de enxaqueca a vida inteira e já fui em mil médicos incompetentes que sempre me mandam usar Demacid e calcinha de algodão! Afe!
To me sentindo uma velhinha reclamona... e só tenho 28 anos! rs
Desculpe o desabafo!

E obrigada por todas as dicas!

Sonia Hirsch disse...

Oi, Michelle, pode desabafar à vontade, e força nas tranças, estamos torcendo por você. Abração!

Andre disse...

Oi Sonia, parabéns pelo blog, estou aprendendo muito lendo os posts passados. Eu gostaria de saber mais detalhes sobre onde você compra óleo de coco do Dr. Orgânico em caixa. Pode comprar uma só ? Quantas garrafas vêm em cada caixa ? Qual é o preço ?
Obrigado,
Andre

Sonia Hirsch disse...

André, entra no site www.dr-organico.com.br e pergunta pra eles, foi o que eu fiz. Um abraço!

Claudio disse...

Oi Sonia, sempre comprei o Oleo virgem de côco da Theraherb, através da sua recomendação, e de fato é um óleo maravilhoso.

Porém, quando encomendei recentemente, ao invés do Theraherb, veio um óleo chamado dr. organico, em uma embalagem diferente do Theraherb (garrafa de vidro).
Olhando por fora percebi em dois locais, pontos pretos, indicando que o óleo não estava cristalino, como estavam todos os outros da Theraherb que eu comprei até hoje.

Embora no rótulo afirme ser importado das Filipinas, fiquei aborrecido por essas impurezas vistas a olho nu, e também com a embalagem nada prática de garrafinha, pois como sabemos, o óleo de coco em temperaturas mais baixas empedra, tornando-se impossivel com uma embalagem destas, consumi-lo sem leva-lo ao calor.

Você está sabendo de alguma coisa a respeito?

Obrigado,
Claudio

Sonia Hirsch disse...

Oi, Claudio, o óleo continua sendo o mesmo, só que em vez da marca TheraHerb eles resolveram colocar marca própria. Me parece gente séria. Mas também não gostei da nova embalagem, porque onde moro ele fica sempre sólido. Deixei meia hora no sol, para derreter, e passei para um pote escuro de boca larga, assim posso tirar com uma espátula, e sugiro que você faça o mesmo.

Agora, os pontos pretos... O que serão? Não seria melhor tentar trocar? Você já falou com o SAC? Encha o SAC deles ;-)

O sabor e o aroma estão 100%? Um abraço!

Claudio disse...

Oi Sonia, eu liguei na loja que me vendeu, e eles pediram para enviar foto, o qual já fiz.
Não abri para não ter dificuldades na troca.

De qualquer forma, estranhei isto, já que nunca tive problemas quando o oleo era puramente da TheraHerb, no mínimo deixa suspeitas sobre como este óleo está sendo manipulado e embalado ao chegar aqui no Brasil.

Obrigado pela sua dica do pote escuro, creio que farei o mesmo, mas ficarei de olho pra ver o grau de pureza deste óleo abrasileirado, já que deixei de consumir o óleo virgem de côco nacional mais conhecido, justamente pelo grau de sujeiras encontradas, algumas bem feias como grude preto do lado de dentro do vidro, por exemplo.

Abraço,
Claudio.

Sonia Hirsch disse...

Oi, Claudio, vou acompanhar o caso com muito interesse. Mas acho que o caminho mais curto seria você escrever para o SAC dizendo onde comprou e o que está acontecendo, porque a loja pode demorar dias pra tomar providências, e o distribuidor deve ter o maior interesse em saber dessas coisas e verificar o que está acontecendo. O fato de ser engarrafado aqui não justifica perda de qualidade. Um abraço!

Juliana disse...

Oi, Sonia!
Adorei seu blog!
Tenho candida desde que me conheço por gente e sou super "formiga"!
Tô tentando fazer a dieta, e minha mãe tá indo prá Bahia, e vai fazer o óleo prá mim! Qual das receitas vc recomenda? Obrigada! Beijo!

Sonia Hirsch disse...

Oi, Juliana, não costumo fazer o óleo porque meu tempo é curto, acho mais prático comprar o do Dr. Orgânico, que é muito bom. Mas várias pessoas daqui do blog já fizeram essas receitas, umas com mais facilidade do que outras. Não tem muito mistério; depende de tentar. Um abraço!

Claudio disse...

Oi Sonia,
das duas queixas feitas por mim aqui, uma venho retirar: o SAC respondeu dizendo para que eu o aquecesse, e os pontos escurecidos sumiriam. O que de fato ocorreu, não sei exatamente qual seria o fenômeno...
A outra queixa eu continuo persistindo: a embalagem nova é horrível, para nós que temos uma vida corrida, quanto mais práticas forem as coisas, melhor. Além do que, essa coisa de ficar aquecendo, como eles recomendam, obviamente irá estragar o produto em questão de pouco tempo, então tem que fazer como vc disse, esquentar, e passar para outro recipiente, que foi o que fiz, mas como não tinha nada escuro, foi num transparente mesmo.
Um abraço!

Sonia Hirsch disse...

Oi, Claudio, que alívio. Afinal, é o único óleo virgem de coco bom de que dispomos e seria péssimo se começasse a vir alterado.

Quanto à embalagem, espero que o pessoal seja sensível às nossas reclamações. Veremos, né? Um abração!

PaulaZZT disse...

Claudio, cubra com papel, assim fica "escuro" :-)

Lígia Carvalho disse...

Olá, primeiramente parabéns pelo seu blog.

Fiquei mito instigada a comprar o tal óleo virgem de coco, principalpente pelas suas propriedades que atuam contra a candidiase.

No meu caso, em particular, meu corrimento aparece sempre após relação sexual.

Mais aí ficou uma dúvida, além de fazer a ingestão do óleo, posso também aplica-lo na vulva e na vagina afim de combater a a alcalinidade que fica na vagina após a relação???

Enfim, para o problema que eu tenho me será útil? Caso sim, qual a melhor administração via oral ou localmente???

Abraços...

Sonia Hirsch disse...

Oi, Ligia, você pode ingerir 1 colher/sopa de óleo virgem de coco puro, em jejum e ao deitar, e aplicar na vulva e na vagina, no períneo e no ânus também, antes ou depois das relações. A prática vai lhe ensinar a melhor maneira. Um abraço!

Anônimo disse...

Comprei a garrafa 500ml do Dr.organico em Copacabana. Que dureza conseguir colocar um pouco de óleo na colher de sopa! Descobri um jeito! Se vc deitar na cama pra ler um livro, por exemplo, coloque a garrafa junto ao seu corpo. O óleo vira líquido outra vez. Bem, se eles não mudarem a embalagem, vou passar a dormir abraçado na garrafa pra tomar uma colher pela manhã !!! William - RJ -

Sonia Hirsch disse...

hahaha, William, essa é ótima! Posso postar? Também não aguento mais essa embalagem do dr orgânico e deve ter um monte de gente na mesma situação. A sua ideia é original, engraçada e inesperada! Um abraço!

Anônimo disse...

Pode postar, claro! Deu certo. Apesar do friozinho que tem feito a noite aqui na Ilha do Governador, Rio de Janeiro, o óleo de coco ficou líquido depois que eu coloquei ele embaixo de um travesseiro sobre a barriga e fiquei a navegar pelo seu Blog. Ficou totalmente líquido e, nesse estado eu vi a praticidade da garrafa com conta gotas. Depois eu envolvi a garrafa em um pano de prato atoalhado e deixei deitado em um armário de madeira na cozinha. Hoje de manhã ele estava totalmente líquido. Acho que se esfriar mais eu vou guardar a garrafa assim, enrolada no pano, dentro do forno (sem estar quente) com temperatura normal. Depois te conto. Ando pensando em umas coisas... vc já escreveu sobre café? Faz bem ou não? E substituir o desodorante por óleo de magnésia Phillips - não é uma boa? Foi um dentista que mora em Teresópolis e tem consultório aqui na Ilha, quem me deu essa idéia. Ele já é um senhor com uma certa idade... e sabia disso. Eu nunca tinha ouvido falar. Comprei o leite de magnésia e estou usando. Deu certo. Não sei se é agressivo ao organismo. Bem, são dois tópicos sobre os quais vc pode pesquisar/escrever. Muita paz, saúde e felicidade pra vc. Qualquer hora dessas vou subir a Petrópolis pra curtir o friozinho! Amo as montanhas! William

Anônimo disse...

Lendo o comentário da Lígia Carvalho (eu também sou da família: Carvalho) me pergunto se o parceiro não pode prejudicar o tratamento feminino com óleo de coco por estar contaminado e retransmitir a cândidíase à mulher, nas relações. Não seria bom os homens também aplicarem o óleo no pênis e na área do ânus a fim de evitarem ficar recontaminando (existe essa palavra?) a mulher? -William-

Sonia Hirsch disse...

Para o homem é mais recomendado lavar bem as partes mimosas, especialmente as dobrinhas, com água oxigenada 10 volumes, antes e depois da penetração. Os fungos gostam de umidade, são sempre mais abundantes nas mucosas escuras e quentinhas da vagina do que na superfície do pênis. Pode aplicar o óleo.

Anônimo disse...

ola , adorei a materia . as minhas duvidas sao : vc comentou que a dr. mary enig disse que tinhamos que tomar um copo de agua morna junto com a colher de oleo . se vc puder me mandar a pagina que vc conseguiu esta informaçao eu agradeço porque procurei e nao encontrei . outra duvida sao 2 ou tres colheres do oleo por dia e antes dos exercicios ou antes das refeiçoes ? amiga se puder me ajudar nestas duvidas agradeço porque sou consumidora do oleo . se puder me mandar a resposta adribiaalves@hotmail.com obrigada

Sonia Hirsch disse...

Anônima, a dra Mary não diz que ninguém *tem* que tomar com água morna. Sugere como uma forma de tomar. E nem lembro mais onde li, pode ter sido em algum livro dela. Mas não é a única a indicar isso. Faz parte da tradição ingerir gordura em água ou caldo quente. O calor é favorável à boa circulação da gordura.

Sobre quantidade e horário, sugiro que converse com um(a) nutricionista que possa lhe dar respostas adequadas ao seu caso pessoal e intransferível. Um abraço!

Sonia Hirsch disse...

Comentário marqueteiro anônimo: removido.

Anônimo disse...

Olá Sonia, por muito acaso encontrei seu blog enquanto buscava informações sobre oléo virgem de coco e estou adorando isto aqui, muito esclarecedor, faz a gente ter vontade de usar. No meu caso pesquisava para ver até onde seria verdade essa nova febre sobre o oleo virgem de coco ser considerado o "emagrecedor" do momento e embora esteja acima do peso, o que me fez vir a net pesquisar a respeito foi o fato de ter me recordado que teria visto em algum lugar virtual falando sobre o beneficio do oleo de coco para aumentar a imunidade da criança que adoece demais, caso do meu filho. Então já vou começar comentar no seu blog perguntando rs, é veridica as duas menções sobre o oleo virgem de coco (emagrecer e aumentar imunidade no caso de crianças)? sendo verdade, como é administrado no caso de crianças, existe alguma restrição de quantidade, vezes por semana, etc...meu filho além de adoecer muito esta abaixo do peso e da altura para idade (5 anos). Por ultimo, gostaria de saber se pessoas com doenças renais que já se submeteram a cirurgias tem alguma contra indicação ? Obrigada e parabéns pelo blog!

Gilvana Dornelas disse...

Olá Sônia gostaria de saber com sua experiência na área...estou começando a tomar o óleo e espero ter bons resultados. Então..comprei o copra pois foi o que eu achei a principio. Teria alguma restrição sobre essa marca?? Ele veio clarinho e com gostinho de coco bem suave. Grata

Sonia Hirsch disse...

Gilvana: você é quem vai saber se está bom. Se não estiver, devolva. Um abraço!

Fernanda disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Fernanda disse...

Oi, pessoal, gostaria de dirigir a minha pergunta a todos vocês: comprei um oleo de coco na promoção de uma marca importada que ja conheço e gosto muito. Detalhe: o preço estava maravilhoso porque parece que a validade é até outubro, então a loja quer desovar os produtos. A minha pergunta é: o oleo de coco fica ruim apos o prazo de validade, ou como uma série de outros produtos, é uma data para segurança, sem deterioração da qualidade?

Obrigada!

Sonia Hirsch disse...

Depende... Pode ter 2 anos de validade, ficar exposto à luz e ao calor e perder todas as virtudes. Minha frase-paderão é: experimente e observe. Um abraço!

Rafaela disse...

Olá Sonia!
Encontrei no seu site muitas informações interessantes sobre o oleo de coco. Há mais ou menos duas semanas tento inserir uma colher de sopa de oleo de coco na minha alimentação, mas toda vez que faço isso me sinto muito mal. Dor no estomago/intestino, gases, enjoo. Não entendo, mas li alguma coisa falando sobre alergia ao oleo. Não acredito que seja o caso, pois consumo todos derivados do coco: polpa, agua, leite, coco ralado e não tenho mal estar. Será que você saberia me dizer o que pode estar acontecendo comigo e como faço para poder incluir o oleo na minha dieta?? Ele possui muitos beneficios e gostaria de tentar.
agradeço antecipadamente!

Sonia Hirsch disse...

Rafaela, você tem certeza de que o óleo está bom? Não está rançoso, com um saborzinho amargo no fundo? Está usando puro?