quarta-feira, 29 de abril de 2009

Gripe suína: não perca a cabeça

Gosto de receber a newsletter do site www.mercola.com . O dr Mercola é um médico antenado com a promoção da saúde, as verdades comerciais (i.e., vendas de suplementos nutricionais e quejandos no site, mas ninguém é perfeito) e a politicagem geral das doenças e síndromes. Hoje ele colocou online um artigo de 10 páginas - Critical Alert: The Swine Flu Pandemic – Fact or Fiction? - como um alerta, pondo pingos em vários ii e dizendo que não acredita que haja perigo real de epidemia, mas que certamente muitos ficarão mais trilionários com o pretexto da vacinação em massa, paga pelos governos do mundo à cada vez mais poderosa indústria farmacêutica. Sem falar nas pessoas que pagam do próprio bolso por vacinas "especiais".

Entre outras coisas, ele lembra de outras previsões de epidemia que deram em nada:

- gripe suína em 1976, vacinação em massa, pedidos judiciais de indenização no valor de US$1,3 bilhões por pessoas que ficaram paralíticas devido à vacina, 25 mortes pela mesma razão, centenas de pessoas aleijadas ou paraplégicas, e a epidemia nunca se materializou;

- gripe aviária, no início do mandato Bush: o próprio presidente anunciou que dois milhões de pessoas iam morrer na epidemia, ela nunca veio e Mercola escreveu um best-seller, The bird flu hoax (O embuste da gripe aviária).

O artigo esclarece um ponto importante sobre o vírus da próxima suposta epidemia, o A(H1N1): trata-se de uma variação do vírus H1N1, o mesmo da grande gripe de 1918, que teria matado 50 a 100 milhões de pessoas em um ano e meio. Todos os vírus de gripe derivariam dele. Bem; vírus são mutantes, como se sabe. São fabricáveis, como se sabe. A ciência é lenta, como também se sabe, e só agora descobriu que a causa mais provável da morte desse montão de gente remete mais a infecções bacterianas por Streptococus pneumoniae do que ao virus. E as mortes ocorreram em ambientes que haviam sido devastados pela primeira guerra mundial (1914-1918), em pessoas com péssimas condições de vida. Mas o curioso é que essa nova forma do vírus atual contém também material genético das versões aviária e suína da gripe. Essa versão nunca foi vista em humanos ou animais.

Mercola acredita que a culpa pelas gripes suína e aviária em porcos e aves seja consequência dos padrões de risco da criação industrial. Mostra que, apesar do pânico disseminado pela mídia, até agora existem segundo a OMS apenas 26 casos confirmados no México (7 mortes),64 casos nos E.U.A., 6 no Canadá e 1 na Espanha, sem mais mortes. E diz o seguinte:

- Pessoalmente, sou muito cético. Não parece uma epidemia real. Mas levanta uma séria questão a respeito de onde viria esse vírus novinho em folha, nunca antes visto, especialmente se não é contraído através da carne de porco e nunca foi visto em porcos, mas contém traços da gripe aviária - e que, até aqui, parece responder somente ao medicamento Tamiflu. Será que somos tão sortudos, ou... o quê?

13 comentários:

  1. Obrigada por postar isso, eu sou mae de duas e desde ontem bombardeada com todas as suposiçoes comecei a ficar com medo, e eu q nunca paguei uma vacina fora do calendario pq meu plano nao cobra e financeiramente pra mim nao da, estava me dispondo a bancar pras duas, pensando na hipotese de estar deixando elas desprotegidas de alguma forma.
    Eh muito confuso pra gente, pq hj em dia a gente sabe que apesar do necessario continuar sendo o basico, alimentaçao, saude, educaçao e amor, ainda assim, ficamos sempre com a sensaçao de que estamos deixando passar algo importante.
    Ja tinha buzinado pro meu marido q trabalha na fiocruz caçar informaçoes la com os imunologistas!

    Obrigada novamente!
    Beijocas

    ResponderExcluir
  2. Será? As suspeitas são terríveis!...Mas à vista de todas as contrafações que geraram e /ou agudizaram a atual crise da economia mundial a partir dos E.U. não são nada improváveis.

    ResponderExcluir
  3. paulocésare01/05/2009 00:14

    Minha opinião é a de que, mais uma vez, a humanidade é manipulada por aqueles que detém o poder. Mas até quando? Não é o caso de negar a existência dessa gripe suína, mas sim o de questionar, de fato, qual a verdadeira dimensão do problema. O que me preocupa mais é a consequência nefasta de milhões de pessoas vibrando essa egrégorta negativa de pandemia, doenças, mortes e temas relacionados. Isso sim é muito mais preocupante. Tenho acompanhado em sites e blogs espanhóis essa discussão toda e gostaria de copiar um texto que traz uma reflexão interessante:


    El pasado 2 de abril durante la reunión del grupo de G7 integrado por EU, R. Unido, Canadá, Alemania, Italia y Japón se dieron 2 conclusiones fundamentales.
    1- La economía mundial necesitaba un cambio
    2- El FMI. Destinaria 500,000 millones de dólares para ayudar a las economías emergentes, (países pobres dispuestos a colaborar) pues bien los dados estaban en el aire
    3- Luego vino la reunión privada del presidente Obama y Felipe Calderón el 16 y 17 de abril.
    Sorpresivamente el jueves 23 de abril el presidente de México convoco a una reunión de emergencia con su gabinete, y por la noche el secretario de salud José ángel córdoba Villalobos anunciaba en cadena nacional la aparición del virus de la influenza, y las medidas inmediatas como la suspensión de las clases a todos los niveles en el DF y el estado de México.
    El 24 de abril el G7 declara la economía mundial debería ponerse en marcha este año y que se lanzarían todas las acciones necesarias.

    Finalmente lunes 27 de abril la empresa farmacéutica Sanofi Aventis anuncia que inyectara 100 millones de euros en una nueva planta de vacunas y donaría 236,000 dosis a México como apoyo al control de la enfermedad.

    De todo lo anterior veamos lo siguiente:

    1. Desde hace más de 2 años la industria farmacéutica a nivel mundial tenía problemas financieros por la baja en la venta de medicamentos.
    2. Si no creas guerras crea enfermedades (la economía mundial debería ponerse en marcha)
    3. México perfecto trampolín para lanzar la enfermedad, de aquí saldrían turistas a diferentes partes del mundo, curiosamente los países que reportan enfermos que estuvieron en México, y que están reforzando su cerco sanitario son los países que integran el G7 que raro.

    Lo que pasara esta semana que viene. Muy probable la suspensión de actividades en todas las empresas del DF y Estado de México, ya las clases se suspendieron hasta el día 6 de mayo, donde el gobierno hará un análisis de la farsa y vera conveniente el que siga, o la declaración tan estudiada "gracias a las medidas que se tomaron a tiempo y el apoyo de la ciudadanía pudimos controlar la enfermedad"
    4. Ponte a pensar de que se está hablando a nivel internacional ahora ¿del virus o de la crisis financiera?. Esto de antemano es un alivio para el banco mundial y las bolsas del mundo.
    Distribuye este correo a todos tus contactos no se vale nos quieran ver la cara como lo han hecho en el pasado, (chupacabras, ovnis, leche contaminada etc.)

    Y si puedes saca copias para la gente que no tiene internet, esta gente como siempre es la más afectada, mira los noticieros y las ventas de las farmacias se ha incrementado y el costo de los cubrebocas ya llego a 7 pesos imagínate las risas de quien esto orquesto al ver a la gente con cubrebocas.
    Si alguien debate que con el paro México perdería mucho pues no, para eso es el fondo que destino el FMI, e imagínate las ganancias de la farmacéutica a nivel mundial, y como lo acaba de anunciar el Secretario de Economía de México por dinero no paramos para combatir la enfermedad, y por último los empresarios considerarían este paro un alivio y muchos vivales como siempre pagaran la mitad a sus empleados.

    El presidente anuncio que la enfermedad es curable, y siempre nos manejan cifras a medias ¿donde están los muertos y donde están concentrados los enfermos?,

    Yo anexo los siguientes puntos:

    1. Si realmente es tan contagioso, ¿cómo y donde están las familias de los muertos?
    2. Si la influenza porcina es una mutación del virus original de los cerdos, entonces el brote de la infección debería haber comenzado en el campo y no en la ciudades.
    3. ¿Por qué no han mostrado una entrevista con algún enfermo? (he visto que entrevistan a familiares, diciendo que su familiar esta enfermo y que ya está estable gracias a los medicamentos, pero si el familiar ha estado en contacto directo con el virus que lo lógico no es que esté enfermo o en cuarentena?)
    4. ¿Por qué no han dicho el nombre del retroviral que esta “curando” a la gente enferma?

    ResponderExcluir
  4. Oi, Paulo, é isso aí. Vamos acompanhando e questionando!

    ResponderExcluir
  5. realmente diante disso nao sei mais o que dizer.

    ResponderExcluir
  6. Que bom encontrar aqui informação que confirma minha impressão. Sonia, é muito bom ver seu blog. Seu livrinho Deixa Sair já o emprestei a tanta gente ao longo de quase duas décadas. Que livro bom, como me fez bem desde que o li e até hoje.

    ResponderExcluir
  7. Autora feliz abana o rabinho! :-)

    ResponderExcluir
  8. Tres meses depois... e ainda temos a gripe ou coisa parecida! Esta leitura torna-se inviavel a esta altura, pois incentiva o desleixo e nos dá uma falsa segurança. Na duvida meus caros, enrolem o cabo! Este é o ditado entre os trilheiros e motoqueiros "enrole o cabo" faça algo, previna-se, cuide-se e assim estará cuidando dos outros também. Não sou da area, mas tenho medo dessa maldita gripe, não por mim, mas pelos meus filhos, razão de minha vida...

    ResponderExcluir
  9. Caro Anônimo, sugiro que dê uma olhada no filminho que está em http://www.soniahirsch.com/2009/08/gripe-porquinha-ver-para-crer.html . Ter medo é normal, mas que seja das coisas que realmente ameaçam. Por exemplo, a gripe comum, que é pior para quem consome mais açúcar, leite, laticínios, farináceos e porcaritos em geral. Ou os parasitas, como por ex as lombrigas, cujas larvas fazem caminho pelos pulmões e produzem pneumonias que podem matar.

    Ninguém aqui incentiva ao desleixo. Muito ao contrário: incentivamos a saúde - que é subversiva porque não dá lucro a ninguém.

    ResponderExcluir
  10. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  11. Ola Sonia,

    Que alegria achar o seu blog. Cai aqui atraves do blog da Pat Feldman, que 'e um espanto de maravilhoso.

    Assim que tiver tempo quero ler outros posts, mas este que voce publicou deveria ser publicado em primeira pagina de jornal! (sonhar nao custa nada...)

    Reconheco os beneficios de algumas vacinas mas sou totalmente contra a vacinacao em massa, e da forma como o calendario de vacinacao 'e estabelecido e aplicado sem uma devida avaliacao das caracteristicas individuais e do historico familiar.

    Estou tentando iniciar a dieta GAPS para o meu filho que tem autismo e venho desintoxicando os antibioticos e as vacinas dele com a Terapia CEASE que 'e pouquissimo conhecida no Brasil. Estou fazendo o possivel para divulga-la aos brasileiros.

    Estou escrevendo um blog sobre o tratamento dele para que as pessoas tenham alguma informacao sobre isso em portugues (ha muito em ingles na internet em CEASE therapy).

    Nao ha numeros precisos mas os terapeutas CEASE relatam possibilidades de progresso, em maior ou menos medida, em 90% dos casos de autismo (e todas as outras doencas neurologicas infantis similares). Ha muitos casos de cura total com a desintoxicacao de vacinas. Isso por si so comprova que as vacinas causaram os maleficios, mais do que cada uma em particular, o problema 'e o "acumulo".
    Um dia isto vai mudar e a falacia da politica de vacinacao em massa vai vir a tona. Mas infelizmente ate la, muitas familias terao pagado um preco muito alto por isso, como nos.

    Nos EUA foi produzido um filme recentemente chamado The Greater Good, pelo "bem maior" - pelo "bem da sociedade", o que costuma ser a justificativa daqueles que conhecem perfeitamente os maleficios da vacinas e os altos riscos a um numero menor de criancas, mas acreditam que eles sao compensados pelos beneficio geral que as vacinas conferem a um numero maior de criancas, pelos quais pagamos nos, os pais de criancas que passaram a ter problemas neurologicos por causa das vacinas.

    Confio que este tratamento do meu filho, agora com a dieta, vai trazer grandes progressos na situacao atual dele, e porque nao... se Deus quiser.. a cura total!

    Muito sucesso,
    Julie

    ResponderExcluir
  12. Que pena que a Julie removeu seu comentário. Falava da relação entre vacinas e autismo. Parece que uma terapia de desintoxicação de vacinas ajuda muito as crianças na recuperação.

    ResponderExcluir
  13. Ah, que bom que postou de novo! Obrigada, Julie, por trazer essas informações para o blog. E o da Pat Feldman é mesmo maravilhoso. Aqui sabemos que o óleo virgem de coco também faz um efeito surpreendente na melhora do autismo, o que nos leva sempre a pensar em candidíase como fator de alteração no comportamento. Sem falar nos bichos que dão em gente - dão e tiram... Um abraço!

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário ou pergunta, se quiser, mas saiba que no momento é improvável eu responder, devido a mil coisas, cursos & viagens. Também vem novidade web aí. Agradeço. Abraços, Sonia

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.