quarta-feira, 25 de novembro de 2009

Tem sol? Pois vamos cozinhar com ele!




Sol no céu, comida na panela e pés no chão: Ana Claudia, Mary e Teresa desenvolveram o que há de melhor em matéria de bom, bonito e barato. Tem sol? Pois vamos cozinhar com ele.

Qualquer um faz, basta ter caixas de papelão, papel de alumínio, fita adesiva, tesoura - parece brincadeira de criança, e é brincando e rindo que elas foram desenvolvendo o projeto, criando receitas, ensinando o pessoal dos acampamentos, das roças, da cidade ensolarada. Doces, salgados, secos e molhados: para tudo ele serve. Do cozido à feijoada, do peixe com ervas à moqueca de ostra. Sopa de frutas. Pé-de-moleque. É ver para crer.

Se preparar comida já é um movimento mágico, transformador, cozinhar usando simplesmente a luz do sol é mais mágico ainda. Esse fogão solar marca território na contramão de tudo quanto é mais valorizado pela sociedade de consumo, com sua tecnologia de aço inox e microondas. É o simples e fácil em ação. Não está nada distante dos primeiros processos de cozimento que permitiram ao ser humano aproveitar os grãos duros e as raízes secas. Até então, o sólido se comia e o líquido se bebia. Foi o calor que  juntou os dois para obter uma terceira coisa mais apetitosa. E que prazer nos dá um comida quente!

O calor do sol cozinha mais devagar. As moléculas dos alimentos se mexem menos do que nas altas temperaturas. Os nutrientes ficam mais preservados. Não é preciso ficar mexendo, e tem o seguinte: a comida não queima.

As receitas, testadas e aprovadas, são de dar água na boca. O sotaque nordestino aparece no uso dos temperos e do indispensável leite de coco, refletindo a cultura tradicional de Sergipe, onde se come muito bem.

Não acreditem no que eu estou dizendo. Leiam o livro, experimentem, façam seu fogãozinho. Trata-se sim de economizar lenha, gás e eletricidade. Mas trata-se também de algo mais sutil - de nos reconectarmos às raízes da civilização em pleno século 21, com ótimos resultados. Isso dá prazer e felicidade. E o sol, afinal, é de todos.

O livro pode ser adquirido por R$ 25,00 - frete incluso para qualquer lugar do Brasil. Informações pelo email cozinharcomsol@vital.srv.br .

24 comentários:

  1. Eu também quero!

    Já fiz já desse jeito: http://mulherverde.blogspot.com/2009/09/meu-sonho-de-consumo-atual.html

    Obrigada pela dica, Sonia!

    ResponderExcluir
  2. Eu quis dizer que já fiz "chá" desse jeito:

    http://mulherverde.blogspot.com/2009/09/meu-sonho-de-consumo-atual.html

    ResponderExcluir
  3. Oi, GW, deixei um comentário lá no seu blog falando da desinfecção da água pela luz solar - desde que ela esteja em vidro (ou plástico) transparente, incolor ou azulado. Tecnologia do simples e fácil divulgada pela Unesco!

    ResponderExcluir
  4. Obrigada pelo carinho. Espero que gostem e compartilhem as maravilhas dessa energia poderosa. Claudia

    ResponderExcluir
  5. Sonia, concordo com você que o sol é um poderoso desinfetante. No entanto, o que eu quis dizer lá é que as bactérias podem se proliferar por causa das ervas que estão dentro da água...

    Faz sentido agora? Ou mesmo com as ervas dentro da água o sol continua atuando como desinfetante?

    Acho que o sol não é o problema, o problema é a combinação ervas + água + sol. Mas sou leiga, posso estar errada. :-)

    ResponderExcluir
  6. Oi, GW, não faz sentido, porque os raios solares vão liquidar tudo o que estiver vivo na água. Vou postar sobre esse método e talvez fique mais claro. Deixa a minha conexão estabilizar - com esse monte de chuva, muitos raios, meu velox anda paradox...

    ResponderExcluir
  7. Oi, Claudia, a gente é que agradece esse trabalho de vocês. Já pensaram em colocar o passo-a-passo na web? Acho que seria um grande presente para o mundo. Abração! :-)

    ResponderExcluir
  8. Ótima idéia, vamos providenciar.Grande abraço.

    ResponderExcluir
  9. Isabel Monteiro27/11/2009 00:05

    Muito inspirador, Sonia! Vou comprar o livro! :)

    ResponderExcluir
  10. Eu também, Isabel! Vai ser meu presente de Natal para um bando de gente. E mesmo que as pessoas não façam o fogãozinho, as receitas são mmmm.... mmmmm.... mmmmmmmmmmmmm.....

    ResponderExcluir
  11. Oi, Sonia!
    Tô passando por aqui de novo, em busca de suas maravilhosas idéias.
    Adorei a idéia do livro, vou comprar! Aliás, comprei vários livros seus numa compra conjunta organizada pela Naya, de Campinas, lembra? Tô adorando as leituras!
    Queria te perguntar se vc conhece algo natural pra espantar pernilongos. AQui em casa tá difícil. Estava usando citronela no álcool de cereais. Tava dando certo, mas agora parece que não tá funcionando. Essa noite, coloquei um pedaço de casca de laranja naqueles aparelhinhos que vão na tomada, sabe? Funcionou, mas por pouco tempo...
    Se puder me ajudar, agradeço!

    Um beijão! =*

    ResponderExcluir
  12. Oi, Gisele, que legal esse grupo de vocês. Conheci a Naya no lançamento em Campinas. Vou dar O Sol na panela de presente de Natal pra muita gente.

    Eficiente contra mosquitos, só conheço duas coisas: mosquiteiro e andiroba. As velas de andiroba não são tóxicas e funcionam muito bem.

    Por outro lado, comer inhame tem a vantagem de impedir que as picadas incomodem, cocem, inflamem. O inhame protege da dengue, da malária, da febre amarela. Pra quem não sabe, coma e ame! www.correcotia.com/inhame

    ResponderExcluir
  13. Mais uma vez, obrigada, Sonia!
    Vou tentar a vela de andiroba. O mosquiteiro, a gente já usa no berço da bebê.
    E o inhame, já faz um tempo que venho pensando em fazer um molho, mas sempre esqueço. Ser mãe, mulher e estudante não é fácil...

    Um beijão!

    ResponderExcluir
  14. Mãe, mulher, estudante e ligada em saúde. É isso aí! Quem disse que queremos facilidades, né? Abração!

    ResponderExcluir
  15. Voce tem Receita de Vela de Andiroba ?
    Nossa, muito legal...

    ResponderExcluir
  16. Oi, Monica, não tenho nenhuma receita de vela, mas acho que deve ter aos milhares na web. Acho que o mais difícil deve ser encontrar um bom óleo de andiroba. Se conseguir, conta pra nós? Beijo!

    ResponderExcluir
  17. Será que não é só pegar uma receita comum de vela e pingar óleo essencial de andiroba?

    Achei um texto interessante aqui, no site da empresa da qual compro meus óleos essenciais e que é muitíssimo confiável:

    http://www.aromaterapiacursoonline.com.br/externa_noticias.php?id=8

    ResponderExcluir
  18. Sonia, vou adorar se vc escrever sobre o assunto! Ah, já encomendei meu livrinho.

    Beijo pra vc!

    ResponderExcluir
  19. Oi, GW, não entendo nada de velas. Uma amiga que já facrivou essas velas de andiroba diz que não são feitas com o óleo essencial. A fórmula é patenteada pela FioCruz. Patentes, aaaaargh!

    E escrever sobre qual assunto, querida? Sol na Panela? Já tá escrito... Beijos! :-)

    ResponderExcluir
  20. Gente, estou num cyber (sem luz nem conexão em casa, viva a Ampla!) e fabricou virou facrivou, desculpem... :-*

    ResponderExcluir
  21. Oi, Sonia!
    Fiz o molho de inhame! Ficou uma delícia! Meu marido, que adora um pãozinho com alguma coisa, provou e disse: muito mais gostoso que esses molhos que vendem no supermercado e ainda saudável! rsrs
    Vou fazer sempre porque, ainda por cima, é super fácil de fazer, o que combina muito com a minha vida que não é fácil, mas é gostosa! hehe

    Um beijão!

    ResponderExcluir
  22. Adorei saber, Gisele! "Minha vida não é fácil mas é gostosa" é a melhor coisa que apareceu por aqui ultimamente. Deus conserve o seu bom humor e o gostoso de tudo! Beijos!

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário ou pergunta, se quiser, mas saiba que no momento é improvável eu responder, devido a mil coisas, cursos & viagens. Também vem novidade web aí. Agradeço. Abraços, Sonia

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.