quinta-feira, 24 de junho de 2010

Comer bem: Agrotóxicos na contramão

Deu no Estadão e a Cláudia Vaz, lá de NY, mandou pra cá. Valeu, Cláudia!

Uso de agrotóxicos é indiscriminado no País, diz Anvisa

Qua, 23 Jun

Levantamento divulgado hoje pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) em amostras de frutas e verduras à venda para o consumidor revela uso indiscriminado de agrotóxico no País. Das 3.130 amostras coletadas, 29% apresentaram problemas, que vão desde uso de defensivos não permitidos para a cultura ou sem registro no País até alto grau de resíduos de agrotóxicos no alimento. Pelo segundo ano consecutivo, o pimentão foi o produto com maior índice de irregularidades: 80% das amostras analisadas pela Anvisa foram consideradas insatisfatórias. Em seguida, estão a uva, pepino e morango.

"Os números preocupam bastante", avaliou o presidente em exercício da Anvisa, Dirceu Barbano. "Agrotóxico é veneno, seu uso tem de ser feito com limite", completou, ao apresentar o trabalho. A análise foi feita em 26 Estados. Dados de São Paulo não foram revelados, porque o Estado usa metodologia própria para a avaliação dos resultados. Para fazer estudo, técnicos pesquisaram a presença de 234 tipos de agrotóxicos em 20 culturas diferentes. Batata, banana, feijão e maçã foram as que apresentaram menor índice de irregularidades.

Uma das maiores preocupações da Anvisa está no alto grau de uso de produtos que estão sob reavaliação da agência por causa do alto risco à saúde. O trabalho revelou o emprego desses agrotóxicos em culturas para as quais não há autorização. No momento do registro, é definido em que culturas o agrotóxico pode ser aplicado. "O desrespeito dessa recomendação aumenta o risco do consumo de resíduos desses agrotóxicos, porque eles não são levados em conta no cálculo do impacto na ingestão diária do produto", explicou o gerente de toxicologia da Anvisa, Luiz Cláudio Meirelles. O consumo de agrotóxicos em porcentuais acima do recomendado dificilmente são notados no dia-a-dia. "As doenças vêm a longo prazo. Somente em casos de contato com grande quantidade do produto é que surgem as intoxicações", completou.

Outro problema apontado foi o aumento das amostras em que foi detectado o uso de produtos que não estão registrados no País. "Esse é o pior dos mundos. Não sabemos que substâncias estão nos produtos, em que quantidade. É o descontrole total", resume Meirelles.

9 comentários:

  1. Inês Fontes25/06/2010 14:42

    Q triste esta notícia!!

    Sônia, vc q sabe das coisa,...rsrs...há realmente algo que possamos fazer para minimizar a ida do agrotóxico para as nossas mesas?
    Bjs.

    ResponderExcluir
  2. Oi, Inês, para a mesa não sei com certeza; melhor comprar orgânicos; mas para nós, é importante beber muita água e comer bem, para desintoxicar. Um abraço!

    ResponderExcluir
  3. Acompanho o blog de uma moça que mora em Ecovila, o marido dela foi intoxicado com óleo orgânico falsificado usado originalmente como pesticida natural. É o fim, até os produtores rurais são sacaneados.

    ResponderExcluir
  4. Sonia, comecei a ler "você" um pouco antes da minha filha nascer. Segui passo-a-passo tudo de "Mamãe eu quero". Minha filha até hoje (mesmo já passando pelos refrigerantes e salgadinhos de aniversários) continua muito saudável e ainda muito resistente a qualquer doença mais grave. Claro que gripes e resfriados, as vezes são muito bem vindo, desde que vão embora rápido!;-)
    Desde que passei a cuidar da minha cozinha com mais carinho minha saúde está muito bem. Nunca tive a oportunidade de lhe agradecer. Vc faz parte dessa mudança. Me mostrou um caminho. Confesso que tenho algumas recaídas, mas quem não tem?...
    E foi num momento de angústia que encontrei seu blog. Mesmo com exames de sangue 100% foi descobertas umas manchas grandes no meu fígado. Ainda não sei exatamente o que é, mas pesquisando aqui no seu blog duas possibilidades apareceram pra mim: verme ou agrotóxico. Será possível? Sei que esse blog não se dispõe a isso mas será que vc poderia me dar uma luz? Ou ao menos alguém no Rio que não trate de maneira "convencional"? Obrigada.

    ResponderExcluir
  5. Oi, querida, pra saber se são vermes ou protozoários sugiro fazer um exame no laboratório do dr Helio Copelman, aí no Rio (que sorte!), tel 2548-0648. Não tem convênio e não precisa de pedido médico. Amebas podem fazer abscessos e necrosar tecidos do fígado. Sugiro encaminhar pra ele, junto com as amostras de fezes, a questão das manchas.

    Sobre os agrotóxicos, não sei. Mas fiquei curiosa em saber por que você fez esse exame... Um abraço!

    ResponderExcluir
  6. Sônia, seu post foi super oportuno, hoje mesmo no eco-debate corroboraram tudo:
    http://www.ecodebate.com.br/2010/07/08/brasil-e-o-pais-que-mais-usa-agrotoxicos-no-mundo-artigo-de-fernando-ferreira-carneiro-e-vicente-eduardo-soares-e-almeida/
    .
    http://www.ecodebate.com.br/2010/07/08/relatorio-destaca-a-agricultura-pouco-sustentavel-nos-eua/

    ResponderExcluir
  7. Carol, a gente faz o que pode, denuncia, critica, mas o que tem de gente inescrupulosa no poder é assombroso... E será que existe poder sem falta de escrúpulos?

    ResponderExcluir
  8. Não, Sonia, todo poder corrompe. Autogestão já :-)

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário ou pergunta, se quiser, mas saiba que no momento é improvável eu responder, devido a mil coisas, cursos & viagens. Também vem novidade web aí. Agradeço. Abraços, Sonia

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.